Covid-19. Terrorista de Nice testa positivo ao novo coronavírus

O tunisino que matou três pessoas numa igreja na França na semana passada testou positivo para a Covid-19, o que pode atrasar ainda mais o seu interrogatório, informou na terça-feira uma fonte próxima à investigação.

Brahim Issaoui, de 21 anos, permanece hospitalizado. O alegado terrorista foi atingido com vários tiros da polícia depois do ataque com faca na basílica de Notre-Dame de Nice na quinta-feira: “Ainda não foi interrogado, o prognóstico permanece incerto”, declarou outra fonte da investigação à AFP na segunda-feira.

Issaoui, que tinha antecedentes  criminais na Tunísia por actos de violência e delitos relacionados com drogas, chegou a França no mês passado, depois de atravessar o Mediterrâneo com destino à ilha italiana de Lampedusa.

De acordo com a imprensa italiana, foi colocado em quarentena ao lado de outros 400 imigrantes  que seguiam a bordo da embarcação, antes de ser autorizado a desembarcar em Bari, a 9 de Outubro.

A investigação determinou que Issaoui chegou a Nice a 27 de Outubro, apenas dois dias antes do atentado à igreja. O ataque com faca deixou três mortos, incluindo uma brasileira e o sacristão da basílica.

A polícia afirma que Issaoui gritou “Allahu Akbar” (Alá é grande) no momento em que foi  detido.

Seis pessoas foram detidas nos primeiros dias da investigação para interrogatório por supostos vínculos com Issaoui, mas apenas uma continua sob custódia, um tunisino de 29 anos que estava a bordo da embarcação que levou Issaoui a Lampedusa, de acordo com fontes próximas à investigação.

Mas fontes judiciais informaram que outras quatro pessoas foram detidas nesta terça-feira, também para interrogatório.

Os quatro homens foram detidos na região de Paris. Um deles, de 29 anos, teria mantido contacto com Issaoui.

Os outros três, com idades entre 23 e 45 anos, estavam na residência do primeiro no momento da detenção.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.