Pandemia está a acelerar a transformação do mercado de trabalho

Os robots vão destruir 85 milhões de empregos em empresas de médio a grande porte nos próximos cinco anos, à medida que a pandemia da Covid-19 acelera mudanças no local de trabalho que devem acentuar as desigualdades, de acordo com um estudo do Fórum Económico Mundial (WEF).

Um estudo feito com cerca de 300 empresas globais revelou que quatro em cada cinco executivos estão a acelerar planos para digitalizar o trabalho e implantar novas tecnologias, comprometendo os ganhos de emprego obtidos desde a crise financeira de 2007-08.

“A Covid-19 acelerou a chegada do trabalho do futuro”, disse a directora administrativa do Fórum Económico Mundial, Saadia Zahidi.

Para os trabalhadores que permanecerem suas funções nos próximos cinco anos, quase metade terão de aprender novas funcionalidades e, em 2025, os empregadores irão dividir o trabalho entre humanos e máquinas, concluiu o estudo.

De modo geral, a criação de empregos está a diminuir e a destruição de empregos a acelerar, à medidas que empresas em todo o mundo recorrem ao uso de tecnologia em vez de pessoas para programação, contabilidade e administração.

A boa notícia é que mais de 97 milhões de empregos surgirão em sectores das novas tecnologia como a inteligência artificial (IA) e a criação de conteúdos, disse o WEF.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.