Suiça. Concerto de “yodeling” criou um dos piores focos de transmissão da Europa

Apesar da pandemia, o “yodelayheehoo” ainda se ecoa nos vales suíços, nem sempre como os melhores resultados. Um dos cantões da Helvécia tornou-se um dos “clusters” de propagação do novo coronavírus mais agressivos da Europa. A culpa? Um concerto de “yodeling” que reuniu 600 espectadores.

Durante este concerto de yodeling – uma expressão folclórica popular vocalizada de forma polifónica – realizado no final de Setembro no cantão rural de Schwyz – o cantão berço da Confederação Helvética – as distâncias sociais foram respeitadas, mas o uso de máscaras não era na altura obrigatório entre o público.

“O que aconteceu com este grupo de “yodeling”, não há nada que possamos fazer sobre isso. Descobrimos nove dias após o espectáculo que várias dos membros do agrupamento folclórico tinham sido infectadas”, disse o organizador do evento, Beat Hegner, à televisão pública suíça RTS.

Por causa do concerto, a epidemia disparou na região, com 1.238 casos registados esta semana em comparação com apenas cerca de 500 em meados de Setembro. Na quarta-feira, 94 pessoas testaram positivo à presença do novo coronavírus, mais do que o dobro das infecções registadas no dia anterior.

O principal hospital do cantão de Schwyz, que está superlotado, deu o alarme e pede que a população use máscaras e evite congregações: “A proporção de testes positivos é extremamente alta. Passamos de 30 para 50 por cento ”, disse a directora do hospital, Franziska Föllmi.

“É hora de reagir. Actualmente, a explosão do número de casos em Schwyz é uma das piores de toda a Europa ”, disse, por sua vez, Reto Nüesch, director médico do hospital.

As autoridades cantonais também endureceram o tom e tornaram obrigatório desde segunda-feira o uso de máscara em todos os eventos públicos e privados com mais de 50 pessoas e em situações  nas quais a distância física não pode ser salvaguardadas. As novas especificações não se aplicam, no entanto, em lojas e espaços comerciais.

O “yodelling”, uma canção arcaica caracterizada por um combinação de vozes cadenciadas e rápidas, não é exclusivo da Suíça. A prática também se encontra no Tirol austríaco, com outras variantes nas montanhas da Europa Central, da Polónia à Roménia.

Mas, para os suíços, é um dos seus cimentos identitários, como o tiro, a luta livre ou os jogos alpinos, usados ​​desde o século 19 para aproximar regiões díspares.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.