FIFA permite que clubes não autorizem ida de jogadores às selecções

O Conselho da FIFA aprovou o protocolo para jogos internacionais até ao fim de 2020 e adaptou as regras sobre a cedência de jogadores alguns dias antes de uma nova ronda de jogos de selecções devido à pandemia de coronavírus.

“Este manual é o resultado de um extenso processo de consulta às seis confederações e representantes das partes interessadas. O protocolo da FIFA oferece garantias importantes para a saúde e segurança dos jogadores e delegados, ao mesmo tempo em que facilita o regresso aos campos de futebol e a concessão de isenções por parte das autoridades, quando apropriado”, disse a FIFA em comunicado.

Na nota, a entidade máxima do futebol mundial anunciou também que criou uma equipa dedicada a fornecer assistência prática, apoio e coordenação na implementação das medidas e garantias necessárias para todos os jogos internacionais. O objectivo é evitar o contágio pelo vírus e evitar a sua propagação.

De acordo com as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), o documento estabelece um conjunto de medidas de prevenção a serem implementadas na realização de jogos de selecções, que inclui monitorização e testes rigorosos dos jogadores, integrantes de comissões técnicas, outros funcionários de clubes, dirigentes e equipa de arbitragem.

A FIFA também exige a higienização das mãos e das vias respiratórias, distanciamento físico, comunicação e consciencialização de riscos, gestão de infectados, com os sintomas apresentados e uma relação de pessoas com quem teve contato, e planeamento de cada deslocamento e estadia.

O protocolo também contém directrizes detalhadas de implementação operacional, cobrindo diferentes aspectos-chave, como considerações logísticas, operativos de cada jogo e o trabalho de imprensa, além da presença de espectadores, que é permitida em alguns países.

Entre as medidas, também estão alterações no regulamento das eliminatórias, que, assim como vários outras competições, permitirá que cada treinador faça cinco substituições ao longo dos jogos.

O Conselho da FIFA também aprovou uma série de emendas temporárias sobre a cedência de atletas às selecções. Os clubes vão deixar de ser obrigados a autorizar a sua ida caso, no regresso, seja necessário respeitar uma quarentena de cinco ou mais dias ou se houver restrição de viagens entre o país original do clube e aquele ou aqueles para o qual o jogador tem que se deslocar. Contudo, há a possibilidade da emissão de uma isenção específica que deverá ser solicitada pelas federações às autoridades.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.