Covid-19. Espanha reforça restrições em Madrid a partir de segunda-feira

A Espanha, com mais de 700.000 casos, é o país da União Europeia com a pior incidência do vírus nas últimas duas semanas, com cerca de 300  novos casos por cada 100.000 habitantes. Em Madrid, a taxa chega a quase 750 casos por 100.000 habitantes.

Nesta sexta-feira, as autoridades da região da capital espanhola anunciaram que as restrições de mobilidade, que já afectavam cerca de 850 mil pessoas desde o iníco da semana, se estenderam a pouco mais de um milhão de habitantes.

A partir de segunda-feira, os residentes da região afectados só poderão sair das suas áreas para trabalhar, ir ao médico ou levar os filhos à escola.

As medidas foram consideradas insuficientes pelo governo central espanhol, liderado pelo socialista Pedro Sánchez, que considera mais adequado confinar toda a área metropolitana de Madrid, ou seja, um total de três milhões de pessoas: “Não há outro caminho. Tomar medidas de forma gradual não faz sentido neste momento (…)Há que agir com determinação”, disse o ministro da Saúde, Salvador Illa.

Protestos em França

Em toda a Europa, são mais de 229 mil  as vítimas mortais já registada e os sinais de alarme multiplicam-se antes da aguardada explosão de infecções, do aumento das mortes e da situação crítica de alguns hospitais. O agravamento do cenário pandémico coincide com a chegada do Outono no hemisfério norte, época mais propícia para a disseminação de vírus.

Na França, o número de novos casos diários ultrapassou os 16.000 pela primeira vez, um claro indicador de que o vírus está a ressurgir: “Se não agirmos, poderemos nos encontrar  numa situação próxima à qual nos encontrávamos na  Primavera. Isto pode significar que poderemos ter que voltar a optar pelo confinamento”, alertou o primeiro-ministro Jean Castex.

A decisão do governo de fechar bares e restaurantes na cidade de Marselha a partir deste sábado e de limitar o horário dos bares em Paris tem provocado protestos dos proprietários e desagrado dos clientes: “Já chega! Estávamos a tentar progredir. Não queremos mais ajuda, só queremos que eles nos deixem trabalhar”, disse Patrick Labourrasse, dono de um restaurante em Marselha.

No Reino Unido, os famosos pubs de Inglaterra e do País de Gales têm de fechar mais cedo devido ao recolher obrigatório imposto pelo governo para conter a pandemia, responsável por cerca de 6.000 novas infecções diárias ao longo dos últimos dias.

As restrições também foram reforçadas em Israel, onde o governo anunciou que apenas as pessoas que compraram passagem aéreas para viajar para o exterior antes desta sexta-feira às 11h GMT poderão viajar por enquanto, desde que também forneçam um teste diagnóstico que mostre que não estão infectados.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.