Rota das Letras com formato abreviado e aposta na “prata da casa”

A edição de 2020 do Festival Rota das Letras realiza-se este ano entre os dias 2 e 4 de Outubro e foca-se em autores e projectos de Macau, devido às contingências provocadas pela pandemia de covid-19.

Num comunicado divulgado na terça-feira, os responsáveis pela organização do Festival Literário de Macau – Rota das Letras explicam que “esta edição do Festival Rota das Letras será mais curta do que as anteriores”. O certame é quase exclusivamente preenchido “por sessões envolvendo autores de Macau”.

“A crise devastadora que se abateu sobre o mundo obrigou-nos a repensar a edição deste ano do festival, numa perspectiva realista de contenção de custos e de aposta nos talentos locais”, afirma Ricardo Pinto, director-geral do Festival Rota das Letras, citado pela agência Lusa.

A pandemia, como não podia deixar de ser, é um dos aspectos em destaque da mini-edição do Festival Literário, até porque na sessão inaugural os autores locais Eric Chau, Wang Feng, Jenny Lao-Phillips e Konstantin Bessmertny vão reflectir sobre os efeitos do surto epidémico na sociedade, de um modo geral, e de uma forma mais específica na forma como influenciou as suas obras: “Esta mesma crise, enquanto tema de reflexão para todos nós, não podia obviamente estar ausente da programação do festival”, explicou Ricardo Pinto.

A nona edição da Rota das Letras tem como palco as Oficinas Navais e a Livraria Portuguesa e recorda, entre outros aspectos, o centésimo aniversário do lançamento da primeira edição de “Clepsidra”, de Camilo Pessanha, com “poemas dispersos escritos” em Macau pelo autor, explicou a organização.

A obra de Camilo Pessanha será tema de um espectáculo musical, dirigido pelo maestro Simão Barreto.

Outro nome grande da literatura do território – Henrique de Senna Fernandes – vai ser homenageado a 4 de Outubro. Senna Fernandes morreu nesse mesmo dia, em 2010 e o Festival vai evocar a obra e a memória do escritor, com o lançamento das primeiras traduções em chinês e inglês do primeiro livro do escritor macaense: “Nam Van – Contos de Macau.”

“Na mesma sessão, Miguel de Senna Fernandes –  filho do escritor macaense e principal mentor do grupo de teatro em patuá Doci Papiaçam – irá também apresentar o seu primeiro livro de contos, lê-se no comunicado.

Durante o festival, a Associação de Teatro de Macau Comuna de Pedra estreia uma peça inspirada nos romances ‘1984’, de George Orwell, e ‘On Tyranny’, de Timothy Snyder.

Vai haver ainda lugar para o cinema local e para uma exposição de fotografia, explica a organização: “A exposição será inaugurada a 2 de Outubro na Livraria Portuguesa, onde será também apresentado o mais recente número da revista Zine Foto”.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.