HSBC permitiu transferência fraudulenta de milhões de dólares

O Hong Kong and Shanghai Banking Corporation terá permitido que fossem transferidos milhões de dólares para todo o mundo de forma fraudulenta. A revelação é feita por uma investigação da BBC, que sustenta que o banco continuou a permitir as transferências, mesmo depois de se ter apercebido da fraude.

A entidade bancária, a maior do Reino Unido e uma das maiores do mundo, transferiu dinheiro através da sua filial nos Estados Unidos da América para contas do HSBC em Hong Kong em 2013 e 2014, de acordo com informação de um documento confidencial a  que a BBC teve acesso.

Os documentos foram ‘libertados’ no portal Buzzfeed e partilhados pelo Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação. O programa britânico Panorama liderou a investigação para o canal público britânico BBC.

A televisão pública do Reino Unido indicou que os ficheiros agora revelados detalham qual foi o papel do banco numa fraude de investimento avaliada em 80 milhões de dólares, mais do que 67 milhões de euros.

O HSBC sustenta que cumpriu as suas obrigações legais na hora de denunciar a fraude, mas os documentos mostram também que o golpe de investimento – conhecido como esquema Ponzi – começou pouco depois de o banco britânico ter sido sancionado com uma multa de 1.400 milhões de libras nos Estados Unidos  da América por operações de branqueamento de dinheiro. Na altura, a entidade bancária comprometeu-se a erradicar este tipo de práticas.

De acordo com a BBC, alguns dos advogados dos investidores que foram enganados nestas operações consideraram que a entidade deveria ter adoptado medidas mais precoces para encerrar as contas dos responsáveis pela fraude.

Os ficheiros FinCEN incluem 2.657 documentos, entre os quais figuram 2.100 relatórios de actividades suspeitas (SAR, na sigla inglesa), que incluem informação sobre transacções que levantam suspeitas aos próprios bancos.

As entidades bancárias enviam estas informações para as autoridades se suspeitarem que os seus clientes estão a incorrer em actividades ilícitas e se tiverem evidências de práticas de actividade criminosa devem ‘congelar’ o movimento do dinheiro.

Esta fuga de informação mostra como decorreu o branqueamento de capital em alguns dos maiores bancos do mundo e como os criminosos utilizaram empresas britânicas anónimas para ocultar o dinheiro.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.