Covid-19. Reino Unido enfrenta ameaça de novo lockdown

O governo britânico deverá ter que reintroduzir algumas medidas de lockdown contra o novo coronavírus mais cedo ou tarde, defendeu um epidemiologista no sábado, com os novos casos de Covid-19 a atingirem os números mais elevados desde o início de Maio.

Neil Ferguson, professor de epidemiologia do Imperial College, de Londres, e antigo conselheiro do governo, afirmou à BBC que o país deverá enfrentar uma “tempestade perfeita” de infecções, provocada pelo regresso dos britânicos ao trabalho e às escolas.

O primeiro-ministro Boris Johnson disse na sexta-feira que não deseja outro lockdown nacional, mas defendeu que novas restrições poderão ser necessárias porque o país vai enfrentar uma inevitável segunda vaga de Covid-19: “Acho que algumas medidas adicionais devem ser necessárias, mais cedo ou mais tarde”, disse Ferguson.

Na sexta-feira, foi noticiado que o Governo britânico estava a considerar um segundo lockdown nacional, depois de os novos casos de Covid-19  terem atingido os registos mais elevados em mais de três meses. O número de pacientes internados está a crescer e as taxas de infecção são consideravelmente elevadas em partes do norte da Inglaterra e em Londres.

“Neste momento, estamos a atingir o nível de infecções que víamos neste país no final de Fevereiro. Se esperarmos mais duas ou quatro semanas, estaremos de volta aos níveis de meados de Março, e isso vai causar inevitavelmente mortes”, disse Ferguson.

Dados do governo, deste sábado, mostraram 4.422 novos casos, uma centena a mais do que na sexta-feira. O país atingiu ainda o maior total diário desde 8 de Maio, tendo por base o número de testes positivos.

A verdadeira taxa de infecção deve, no entanto, ser maior. A agência nacional de estatísticas do Reino Unido disse na véspera que à volta de 6 mil pessoas por dia, apenas na Inglaterra, provavelmente contraíram a doença durante a semana de 10 de Setembro, com base em testes aleatórios.

A primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, requisitou uma reunião com Johnson e os líderes do País de Gales e a Irlanda do Norte, durante as próximas 48 horas, para tentar garantir medidas coordenadas entre as diferentes partes do Reino Unido.

O Reino Unido teve o maior índice de mortes por Covid-19 na Europa, com mais de 41 mil, segundo a contagem do governo.

O aumento de infecções ainda não levou a um crescimento similar no que diz respeito a novas mortes, em parte porque os casos estão concentrados em pacientes mais jovens, mas as internações hospitalares estão a começar a crescer.

Mais de 10 milhões de pessoas em partes do norte e da região central da Inglaterra já estão sob uma forma ou outra de lockdown: uma parte da população britânica está proibida de convidar amigos ou familiares para frequentarem as suas casas ou de  visitar bares e restaurantes depois das 22h.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.