Embaixada chinesa critica Alemanha por suspender acordo com Hong Kong

A embaixada da República Popular da China na Alemanha condenou a suspensão do tratado de extradição que Berlim mantinha com a vizinha Região Administrativa Especial de Hong Kong, uma medida que a Alemanha alega ser uma resposta ao adiamento das eleições para o Conselho Legislativa previstas para a Setembro próximo:

Numa declaração publicada no seu portal electrónico e datada de sexta-feira, a embaixada da China disse que a suspensão do tratado viola o direito internacional e as normas básicas das relações internacionais e “interfere fortemente nos assuntos internos da China”.

A embaixada expressou “forte insatisfação e oposição resoluta” às declarações do ministro alemão dos Negócios Estrangeiros e disse que a China “se reserva o direito de responder mais adiante”, sem oferecer mais detalhes.

O ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas, disse na sexta-feira que Berlim vai suspender o acordo de extradição com Hong Kong, depois que de a chefe do executivo local Carrie Lam ter adiado pelo período de um ano as eleições legislativas na antiga colónia britânica, originalmente previstas para 6 de Setembro.

“A decisão do governo de Hong Kong de desqualificar uma dúzia de candidatos da oposição e de adiar as eleições para o Conselho Legislativo é mais uma violação dos direitos dos cidadãos de Hong Kong”, disse Maas. “Temos deixado claro repetidas vezes as nossas expectativas de que a China possa cumprir as suas responsabilidades legais sob o direito internacional”, disse Maas, acrescentando que isso inclui garantir os direitos previstos na Lei Básica, bem como o direito a eleições livres e justas.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.