China ocupa instalações do Consulado norte-americano em Chengdu

A República Popular da  China ocupou as dependências do prédio onde estava situado o consulado dos Estados Unidos em Chengdu, cidade do sudoeste do país. A ocupação foi consuma esta segunda-feira depois de ordenar que as instalações fossem desocupada, uma retaliação pelo fecho do Consulado chinês em  Houston, no Estado norte-americano do Texas, na semana passada.

A ocupação coroou uma escalada dramática das tensões entre as duas maiores economias do mundo que começou quando funcionários do consulado chinês de Houston foram vistos a queimar documentos num pátio na terça-feira passada, horas antes de Pequim anunciar que tinha recebido ordens para esvaziar as instalações,

O consulado dos Estados Unidos da América em Chengdu, localizada na província de Sichuan, foi encerrado às 10h locais desta segunda-feira, e autoridades chinesas entraram no edifício pela porta da frente, disse o Ministério dos Negócios Estrangeiros da China num comunicado.

Na sexta-feira, Pequim anunciou que determinou que os EUA fechassem o seu posto consular de Chengdu e deu aos norte-americanos 72 horas para saírem, o mesmo prazo dado à China para liberar a missão de Houston, encerrada naquele mesmo dia.

“Estamos decepcionados com a decisão do Partido Comunista chinês e vamos empenharmo-nos em continuar a procurar contactar a população desta região importante através dos nossos outros postos  consulares na China”, disse um porta-voz do Departamento de Estado dos Estados Unidos da América numa mensagem de correio electrónico endereçada à Reuters.

À meia-noite local desta segunda-feira, a polícia retirou as barreiras que restringiam  o acesso às instalações de Chengdu. Dezenas de transeuntes pararam para fotografar e filmar o consulado.

Um homem parou do outro lado da rua e colocou o hino nacional chinês a tocar no telemóvel: “Nós sentimos-nos muito tristes com o rompimento das relações entre a China e os EUA”, disse um transeunte de sobrenome Li, à frente da missão diplomática.

Um pano cor-de-cinza foi instalado perto da entrada, sobre a placa em que se lia “Consulado Geral dos EUA”.

A embaixada norte-americana divulgou um vídeo em chinês na sua conta de Twitter “O consulado dos EUA promove orgulhosamente o entendimento mútuo entre americanos e o povo de Sichuan, Chongqing, Guizhou, Yunnan e Tibete desde 1985. Sentiremos saudades de vocês”.

A bandeira dos EUA deixou de estar hasteada no consulado, tendo sido recolhida às 6h18 locais desta segunda-feira, de acordo com um vídeo feito por um jornalista e compartilhado pela emissora estatal CCTV na sua conta de Weibo, plataforma semelhante ao Twitter.

Os laços entre os dois países estão a passar pelo pior momento em décadas por causa de questões como o comércio, a tecnologia, a pandemia de Covid-19, as reivindicações de Pequim ao Mar do Sul da China e a aplicação da lei da segurança nacional em Hong Kong.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.