Economia. Ho Iat Seng espera dias melhores em Dezembro

O Chefe do Executivo mostrou-se na quinta-feira convicto de que a economia do território deverá começar a crescer de novo em Dezembro. Os principais motores da economia de Macau estão praticamente paralisados desde Fevereiro e o revés económico não se faz sem custos. Ho Iat Seng reiterou que o Governo vai efectuar cortes nas despesas, mas garantiu que as políticas de contenção não vão afectar o bem estar dos residentes.

Em declarações prestadas à margem das Regatas de Barcos-Dragão de Macau, o Chefe do Executivo adiantou ainda que o Governo não está a equacionar, para já, novas medidas de apoio à população. Ho Iat Seng lembra que os incentivos já anunciados pelo Governo se vão estender até Dezembro, “altura em que espera um começo na recuperação da economia de Macau”.

O líder do Governo reconheceu que a abertura das fronteiras é fulcral para a recuperação económica do território, mas mostrou-se esperançado que em Julho a China continental e outros locais possam avançar “para a abertura de fronteiras com Macau”.

A economia de Macau está no top três das economias que mais devem perder devido ao surto epidémico do novo coronavírus. O Fundo Monetário Internacional, lembra a agência Lusa, estima que a economia do território sofra uma contracção de 29,6 por cento, em linha com as próprias estimativas do Governo. O Executivo espera este ano um défice da ordem dos 40 mil milhões de patacas.

Ontem, Ho Iat Seng lembrou que o Governo adoptou uma série de medidas para ajudar a manter as Pequenas e Médias Empresas à tona, através de incentivos ao consumo. Depois de ter atribuído a cada residente um cartão de consumo no valor de 3000 patacas e de ter lançado um programa de excursões locais de apoio ao sector do turismo, o Governo prepara-se para atribuir, em Agosto, um segundo cartão de consumo, no valor de cinco mil patacas.

O Chefe do Executivo voltou a prometer contenção nas despesas, mas assegurou que o Governo não vai tocar nos apoios sociais. Em relação às restrições fronteiriças, que mantêm Macau praticamente isolado do mundo desde meados de Março, Ho Iat Seng garantiu que o Governo “está em constante contacto com as autoridades do interior da China e de Hong Kong, relativamente à retoma da passagem fronteiriça”. O líder do Governo adiantou ainda que as autoridades estão a realizar “testes a nível técnico, de forma activa, para preparar a implementação das respectivas medidas o mais rápido possível”: “Tendo em conta as actuais mudanças da epidemia da pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus e às previsões iniciais de retoma de passagem fronteiriça para Junho, com os recentes acontecimentos em Pequim houve necessidade de impor novas exigências nos trabalhos de prevenção, por isso espera ‘boas notícias’ em Julho, mas ainda não pode confirmar nada”, escreve o Governo de Macau, numa nota de imprensa publicada esta quinta-feira.

As declarações do Chefe do Executivo foram feitas horas antes de a Direcção dos Serviços de Saúde ter diagnosticado um novo caso de infecção pelo novo coronavírus, o primeiro em quase 80 dias.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.