Cascais comprou fábricas na China para produzir máscaras

O município de Cascais começou a produzir na República Popular da China as suas próprias máscaras de protecção contra o novo coronavírus, com o objectivo de responder às necessidades dos seus 214.000 munícipes. O município espera garantir “protecção a longo prazo para seus cidadãos”, disse o presidente da câmara Carlos Carreiras, em declarações à AFP.

A cidade adquiriu duas unidades de produção na República Popular da China para fabricar cinco milhões de máscaras por mês. As máscaras, que serão vendidas em lotes de quatro pelo valor de um euro, estarão disponíveis em mais de 400 distribuidores instalados na cidade.

“Para uma parte da população, menos endinheirada, as máscaras serão gratuitas. Os equipamentos de protecção também serão distribuídos de graça por entre os utilizadores dos transportes públicos”, onde o uso é obrigatório, explicou o autarca.

Cascais já tinha lançado uma iniciativa sem precedentes em Portugal, oferecendo testes gratuitos para detectar o coronavírus a todos os seus habitantes.

Com cerca de 20.000 exames por mês, o processo levará cerca de dez meses e custará mais de um milhão de euros, um orçamento financiado principalmente pelo município.

Muito dependente do turismo, a cidade quer recuperar a confiança dos visitantes estrangeiros para relançar a economia na região.

Portugal, que foi menos afectado pela pandemia de COVID-19 que Espanha ou que Itália, registou 1.465 mortes e cerca de 34.000 casos confirmados, de acordo com o último balanço oficial.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.