Filipinas. Duterte reitera ameaça de liquidar traficantes

O presidente da República das Filipinas, Rodrigo Duterte, reiterou esta sexta-feira a ameaça de matar traficantes e consumidores de droga depois de as forças de segurança do país terem apreendido 756 quilogramas de metanfetaminas. A apreensão prova, no entender de Duterte, que as Filipinas se tornaram num ponto de passagem para estupefacientes.

Com um valor de mercado superior a 102 milhões de dólares, os narcóticos apreendidos correspondem a uma das maiores apreensões registadas nas Filipinas desde que Rodrigo Duterte assumiu o poder e decretou uma sangreta guerra contra o tráfico de droga.

“Se alguém tentar destruir o meu país, ao distribuir estupefacientes no valor de mais de 1,1 mil milhões de dólares, eu matá-lo-ei”, garantiu o chefe de Estado, citado pela agência Reuters.

Duterte não explicou de onde os estupefacientes eram oriundos, mas disse ainda assim que as Filipinas se estavam a transformar numa plataforma de transbordo de narcóticos para os cartéis mexicanos,

O Presidente da República das Filipinas deixou críticas e insultou as organizações de defesa dos direitos humanos por criticarem o seu método de combate aos estupefacientes.

A Organização das Nações Unidas considera num relatório publicado na quinta-feira que dezenas de milhares de pessoas podem ter sido mortas no
âmbito da guerra contra as drogas promovida pelo Executivo de Manila. A ONU critica a “quase impunidade” de que goza a polícia, bem como a incitação à violência por parte das autoridades do país.

Os mais recentes dados governamentais estimam que o número de alegados traficantes e consumidores mortos pela polícia desde Julho de 2016 seja de cerca de 5600.

Uma organização de defesa dos direitos humanos acusa a polícia de ter conduzido várias excecuções sumárias. A polícia nega as acusações e diz que agiu em legítima defesa quando os suspeitos resistiram à prisão.

O gabinete de Rodrigo Duterte rejeita as alegações da ONU, considerando-as “reivindicações sem fundamento”.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.