Índia. Homem acusado de matar a esposa com recurso a uma cobra

A polícia indiana prendeu um homem acusado de ter usado duas serpentes venenosas para assassinar a esposa. Numa primeira ocasião, o alegado homicida terá recorrido a uma víbora, mas não teve sucesso. Da segunda vez, com o recurso a uma cobra, alcançou o propósito que desejava. O suspeito procurou ainda fazer com que a morte parecesse acidental, de acordo com as autoridades indianas.

De acordo com magistrados do Ministério Público do Estado de Kerala, no sul da Índia, Sooraj, de 27 anos, comprou em Março uma víbora para que mordesse a sua mulher, Uthra. A jovem sobreviveu, mas o veneno obrigou-a a permanecer hospitalizada por dois meses, disse o chefe de polícia Ashok Kumar, na segunda-feira, à AFP.

Já com Uthra em convalescença em casa dos pais, Sooraj lançou sobre ela, enquanto a jovem dormia, uma outra cobra, adquirida junto de um criador de serpentes; “Sooraj permaneceu na mesma casa em que Uthra se encontrava, como se nada se tivesse passado. Seguiu a sua rotina habitual, quando foi alertado pelos gritos da mãe de Uthra”, relatou a polícia de Kerala, num comunicado.

A mulher foi levada para o hospital, onde o óbito foi confirmado.

Os pais de Uthra começaram a suspeitar quando o viúvo quis apreender os bens da falecida mulher poucos dias após a sua morte. Uthra nasceu no seio de uma família com dinheiro, enquanto Sooraj, que trabalha como funcionário de um banco, é de origem mais modesta. O casal tem um filho de um ano.

O histórico do telemível de Sooraj revela que o suspeito esteve em contacto com criadores de cobras e assistiu a vários vídeos de serpentes na Internet, de acordo com a polícia.

O dote de Uthra era significativo: cerca de 100 peças de ouro, um carro novo e meio milhão de rúpias em dinheiro (US$ 6.500): “Sooraj temia que, ao se divorciar de Uthra, tivesse que devolver o dote. Por isso, decidiu matá-la”, completa a polícia.

O criador de serpentes que providenciou a arma do crime também foi detido.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.