Analisados três pedidos de cidadãos portugueses que querem voltar a Portugal

As autoridades consulares portuguesas estão a avaliar dois ou três pedidos de cidadãos portugueses que tencionam regressar a Portugal, mas que não se querem submeter a um período de catorze dias de quarenta na vizinha Região Administrativa Especial de Hong Kong.  A informação foi esta quinta-feira avançada por Paulo Cunha Alves, que definiu o processo como “complexo e demorado”.

O Cônsul Geral de Portugal em Macau e Hong Kong explicou que dos 19 pedidos recebidos, oito receberam despacho positivo e dizem respeito a cidadãos portugueses que já viajaram para Portugal. Dos onze restantes, dois ou três continuam em estudo, revelou Paulo Cunha Alves. O diplomata qualificou o processo como exigente, por envolver as autoridades tanto de Macau, como de Hong Kong:  “O assunto é complexo e é demorado. Não é um assunto que se resolve em dois ou três dias. Envolve coordenação, concertação e negociação entre o Consulado Geral, as autoridades da RAEM e da RAEK. Como tal, temos de ser pacientes e aguardar para ver qual é que é o veredicto final do governo de Hong Kong em relação aos pedidos que estão pendentes”, explicou Paulo Cunha Alves, durante a conferência de imprensa de apresentação do programa da iniciativa “Junho, Mês de Portugal”.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.