Cientistas usam imagens de satélite para detectar plástico no mar

Imagens recolhidas por satélites da Agência Espacial Europeia permitem reconhecer pedaços de plástico a flutuar no oceano, uma experiência divulgada esta quinta-feira na revista Scientific Reports.

A especialista em observação terrestre Lauren Biermann, do laboratório marinho de Plymouth, no Reino Unido, liderou a investigação em que foram usadas fotografias dos satélites Sentinel-2 que permitiram distinguir macroplásticos com mais de cinco milímetros com uma precisão de 86 por cento.

Os detritos plásticos foram identificados a partir da luz infravermelha e visível que estes absorvem e refletem em fotografias recolhidas pelos satélites sobre o porto da cidade de Durban, na África do Sul e nas águas junto a Mitilene, capital da ilha grega de Lesbos.

Um algoritmo foi usado para “aprender” essas características e conseguir distingui-las em outras fotografias recolhidas sobre águas costeiras no Gana, Canadá, Vietname e Reino Unido, o que foi conseguido com uma precisão de 86 por cento.

Os investigadores antecipam que se consiga replicar o processo com ‘drones’ ou outros satélites capazes de recolher imagens com alta definição para melhorar o controlo sobre o lixo marinho e ajudar em operações de limpeza.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.