Taiwan oferece-se para receber jornalistas expulsos por Pequim

Os jornalistas norte-americanos expulsos pela República Popular da China serão “bem-vindos em Taiwan”, garantiu hoje Joseph Wu, ministro dos Negócios Estrangeiros da Formosa, ilha que é descrita pelas autoridades locais como “um refúgio para a liberdade de expressão” na Ásia.

“Gostaria de vos saudar e dar as boas-vindas a Taiwan, um farol de liberdade e democracia”, escreveu Wu na rede social Twitter, acrescentando que os jornalistas norte-americanos serão acolhidos em Taiwan “com sorrisos e braços abertos”.

Pequim decretou, no início de Março, a expulsão de 13 jornalistas do New York Times, Washington Post e Wall Street, em mais uma escalada no clima de tensão com os Estados Unidos da América.

As autoridades chinesas avisaram ainda que os jornalistas expulsos não teriam autorização para trabalhar em Hong Kong e Macau, apesar de o território ter autonomia em matéria de emigração.

A China e Taiwan vivem em conflito desde que os nacionalistas derrotados de Chiang Kaï-chek se refugiaram na ilha, há 70 anos, após a implantação da República Popular da China.

Pequim reclama a integração de Taiwan na República Popular e ameaçou por diversas vezes recorrer a meios militares para garantir a reunificação.

As relações atingiram um novo ponto crítico em 2016, com a chegada ao poder em Taiwan de Tsai Ing-wen, que recusa o princípio de “Uma Só China” defendido por Pequim.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.