Irão. Quase 80 mortes por intoxicação com álcool

Quase 80 pessoas morreram devido ao consumo de álcool adulterado no sul do Irão, um país onde têm ocorrido centenas de intoxicações por este motivo desde o início da pandemia covid-19, anunciaram as autoridades. O chefe do serviço de Emergências da província iraniana de Fars, Mohamad Moradian, disse que houve um total de 642 casos de intoxicação, até ao momento, que provocaram 79 mortes.

O número de vítimas por envenenamento com metanol tem aumentado substancialmente, ao longo das últimas semanas, coincidindo com a disseminação do novo coronavírus, sobretudo depois de as redes sociais terem disseminado informações falsas dizendo que o álcool poderia ser um remédio contra a pandemia.

No Irão o consumo de álcool foi proibido, desde o triunfo da Revolução Islâmica, em 1979. Entretanto, as forças de segurança já apreenderam milhares de litros de álcool adulterado e prenderam fabricantes e distribuidores.“O consumo de qualquer tipo de álcool não é de forma alguma eficaz na prevenção do coronavírus e tem efeitos nocivos”, disse Moradian, repetindo um aviso que o Governo iraniano tem estado a divulgar.

O novo coronavírus já matou 2.640 das mais de 38.000 pessoas infectadas no Irão, de acordo com dados do Ministério da Saúde iraniano.

Os especialistas dizem que este elevado número de envenenamentos pode estar ligado à crença no efeito preventivo do álcool, perante a propagação do vírus, e ao aumento de consumo deste tipo de bebidas em situações de crise e de confinamento.

Na província de Fars, a maioria das pessoas intoxicadas tem entre 20 e 40 anos de idade, embora também se tenham registado casos de crianças com intoxicações por metanol.

O porta-voz da Universidade de Ciências Médicas da Ahvaz, capital da província de Fars, Ali Ehsanpur, explica que os casos de envenenamento estão a ocorrer desde dia 5 de Março e considera haver uma relação próxima com a expansão da pandemia covid-19.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.