Hong Kong. Protestos contra planos para transformar habitação social em centros de quarentena

Centenas de manifestantes reuniram-se pelo segundo dia na vizinha Região Administrativa Especial de Hong Kong, neste domingo, para protestar contra os planos, delineados pelo Governo, de transformar um complexo de habitação social em centros de quarentena para suspeitos de infecção pelo novo coronavírus. As manifestações reabilitaram a vaga de contestação ao Executivo na antiga colónia britânica.

O coronavírus abriu uma nove “frente de guerra” para os manifestantes, na sequência de meses de protestos contra o que eles dizem ser a erosão das liberdades na vizinha Região Administrativa Especial. A frequência das manifestações caiu de forma acentuada no último mês, com as pessoas a permanecerem em casa com receio de eventuais contágios.

No domingo, cerca de uma centena de pessoas enfrentaram a chuva e o mau tempo na zona de Fo Tan, nos Novos Territórios, onde as autoridades planeiam usar um novo complexo de habitação social como um centro de quarentena. A polícia concentrou-se no local com o propósito de evitar eventuais investidas contra os imóveis.

Uma mulher de 38 anos, mãe de duas crianças, disse à agência Reuters que esperou oito anos por um apartamento no complexo residencial em questão, mas mostrou-se convicta que via receber as chaves da sua nova casa no final do mês.

“Não há consulta e não sabemos por quanto tempo vão usar os edifícios Chun Yeung. É por isso que estamos tão furiosos”, disse a mulher. 

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.