É oficial. Macau bateu recorde de visitantes em 2019

Macau recebeu em 2019 mais de 39,4 de milhões de visitantes, um aumento de 10,1 por cento em relação ao ano anterior, num novo recorde para o território, de acordo com dados oficiais divulgados esta terça-feira pelo Governo.

No ano passado, visitaram o antigo território administrado por Portugal 39.406.181 de pessoas, um número que ficou próximo da marca ‘redonda’ dos 40 milhões, de acordo com a Direcção dos Serviços de Estatística e Censos (DSEC).

A esmagadora maioria dos visitantes é proveniente da China continental: mais de 27 milhões de visitantes, o que representa um aumento de 10,5 por cento em relação a 2018.

Da região vizinha de Hong Kong, Macau recebeu em 2019 7,3 milhões de visitantes, num crescimento anual de 16,2 por cento, e de Taiwan mais de um milhão de visitantes, mais 0,2 por cento face a 2018.

Em contrapartida, os visitantes da Coreia do Sul (743.026), dos Estados Unidos da América (199.800) e da Austrália (84.030) diminuíram comparativamente a 2018.

No ano passado, entre os visitantes que entraram por via terrestre, 18,4 por cento chegaram pela ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau (5.381.058),  inaugurada no final de 2018 e considerada a maior travessia marítima do mundo, sublinhou a DSEC. Em 2019, os números de excursionistas (20.773.482) e de turistas (18.632.699) cresceram 20,0 por cento e 0,8 por cento, respectivamente.

Quanto aos períodos médios de permanência dos visitantes (1,2 dias), dos turistas (2,2 dias) e dos excursionistas (0,2 dias) “mantiveram-se idênticos, aos do ano 2018”, indicou.

Apesar do crescimento acentuado ano-a-ano, Macau registou em Dezembro uma quebra do número de visitantes: no último mês do ano chegaram a Macau 3.083.406 visitantes, menos 13,6 por cento, em termos anuais, referiu a DSEC.

Naquele período, os números de excursionistas (1.607.764) e de turistas (1.475.642) caíram 12,1 por cento e 15,3 por cento, respectivamente.

Para este ano, a Direcção dos Serviços de Turismo de Macau definiu quatro pontos prioritários de trabalho.

O primeiro é “a revisão do Plano Geral do Desenvolvimento da Indústria do Turismo de Macau e promoção do desenvolvimento do turismo inteligente”, enquanto o segundo é “prosseguir com o desenvolvimento de Macau como uma ‘Cidade Criativa de Gastronomia’ e reforçar a divulgação e promoção turística”.

O “enfoque na criação de um turismo de qualidade, e a elevação da qualidade da prestação de serviços do sector” é também visto pelas autoridades como prioritário. Por fim, o Governo de Macau ambiciona inaugurar o Museu do Grande Prémio de Macau, bem como promover o enriquecimento dos recursos de produtos turísticos.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.