Hong Kong. Detida activista que ia para Taiwan como observadora internacional das eleições

As autoridades da vizinha Região Administrativa Especial de Hong Kong detiveram uma activista do partido pró-democracia Demosisto que procurava viajar para Taiwan na quinta-feira para acompanhar as presidenciais de sábado na Formosa, indicaram responsáveis pelo partido.

Lily Wong, de 26 anos, foi detida – e depois libertada sob fiança – pelo assalto ao Conselho Legislativo a 1 de Julho e é acusada de “conspiração para cometer danos criminais”, explicou o partido Demosisto numa publicação na rede social Facebook.

O secretário-geral do movimento, Joshua Wong, disse à agência de notícias Efe que a activista estava a ir para Taiwan para participar nas eleições como observadora internacional. De acordo com o Demosisto, Lily Wong não sabia que a polícia de Hong Kong a tinha incluído numa lista de pessoas procuradas: “Pedimos a todas as pessoas envolvidas que tomem cuidado com detenções inesperadas nos postos de controlo de imigração”, acrescentou a plataforma política.

Em 1 de Julho, uma manifestação no aniversário da transferência da soberania britânica de Hong Kong para a República Popular da China terminou num protesto sem precedentes, durante o qual centenas de jovens ocuparam à força e vandalizaram o Conselho Legislativo.

Os protestos chegaram maciçamente às ruas de Hong Kong em 9 de Junho, após uma controversa proposta de emendas à lei de extradição, já retirada pelo Governo, mas passaram a assumir-se como um movimento que reivindica a melhoria dos mecanismos democráticos em Hong Kong, e em oposição ao que os manifestantes consideram ser o autoritarismo de Pequim.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.