Índia. Dezenas de milhar marcham contra a lei da cidadania

Mais de cem mil manifestantes, muitos munidos com a bandeira da Índia, participaram  numa marcha na cidade de Hyderabad, sul do país, neste sábado, gritando palavras de ordem contra a nova lei de cidadania proposta pelo primeiro-ministro Narendra Modi. 

O protesto, chamado de “Marcha do Milhão”, foi organizado por um grupo que reúne organizações muçulmanas e da sociedade civil. Mais de 40 por cento da população de Hyderabad, estimada em sete milhões de pessoas, é muçulmana. 

Os manifestantes concentraram-se durante a tarde toda de sábado, de acordo com a agência Reuters, embora a polícia tenha dito que nenhuma marcha seria permitida e que a autorização era para uma concentração de apenas 1.000 pessoas. 

O governo indiano tem vindo a enfrentar desde há várias semanas protestos por vezes violentos contra o Acto de Emenda à Cidadania (CAA, sigla em inglês), que foi passado pelo governo de Modi, em Dezembro. 

Os manifestantes de Hyderabad carregaram cartazes com frases como “Retirem o CAA imediatamente” e “A única religião da Índia é o secularismo”.

A nova lei facilita a naturalização de minorias não-muçulmanas de nações vizinhas com maioria muçulmana, como o Afeganistão, o Bangladesh e o Paquistão. Combinada com o registo nacional de cidadania proposto,o Acto de Emenda à Cidadania poderá vir a discriminar contra a minoria muçulmana na Índia e contrariar a constituição secular do país. 

O governo de Modi alega que a nova lei é necessária para ajudar minorias que estão a ser perseguidas em nações maioritariamente muçulmanas e afirmou que os protestos que se têm verificado por toda a Índia são politicamente motivados. 

Pelo menos 25 pessoas morreram em confrontos com a polícia desde o começo de Dezembro. 

Os manifestantes também saíram à rua em outras cidades indianas, neste sábado, com centenas a protestar em várias localidades de Karnataka, no sul.

Centenas de homens e mulheres reuniram-se num protesto em Bengaluru, com alguns a acusar o governo de Modi de tentar dividir a Índia entre grupos comunitários para desviar a atenção da forte desaceleração económica no país, bem como da perda de postos de empregos.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.