Sequestrador de Neto Valente entregue à Polícia Judiciária

As forças de segurança do Continente entregaram este sábado à Polícia Judiciária um cidadão do território que esteve envolvido no sequestro do advogado Jorge Neto Valente, em 2001. O indivíduo, de 49 anos, tinha sido condenado à revelia a 14 anos de prisão e terá sido transferido de imediato para o Estabelecimento Prisional de Coloane, onde vai cumprir sentença.

De acordo com a emissora em língua chinesa da Rádio Macau, a transferência foi coordenada pelo Ministério da Segurança Pública da República Popular da China e pelo Departamento de Segurança Pública da vizinha província de Cantão, tendo a entrega do sequestrador sido formalizada esta manhã pelas polícia da cidade continental de Zhuhai.

O homem, de 49 anos, foi condenado a três anos de prisão em 2017 por envolvimento com estupefacientes. À época, as autoridades do território foram notificadas da condenação e aperceberam-se que o detido estava indiciado pela justiça da RAEM pelo sequestro do presidente da Associação dos Advogados de Macau.

Neto Valente foi sequestrado por um grupo de oito homens a 28 de Fevereiro de 2001. O causídico, que permaneceu encarcerado durante cinco dias, permaneceu amordaçado, amarrado de pés e mãos a uma cama e de olhos vendados, até ser resgatado às 06h45 no apartamento F do sétimo andar do edifício Kin Chit Gardens, perto do centro da cidade.Valente apresentava contusões, sinais de agressão e desidratação, tendo sido baleado numa perna. Durante as primeiras 20 horas do sequestro, o advogado foi deixado sem alimentos, informa o jornal Público numa reportagem publicada na altura.

Do grupo de sequestradores, seis foram detidos na altura, um saltou do sétimo andar do prédio onde Neto Valente era mantido e um outro conseguiu iludir a polícia. Os raptores tinham em sua posse armamento pesado, como granadas e metralhadores AK-47.

Jorge Neto Valente foi sequestrado na Avenida da República, por um grupo de homens não identificados. De acordo com testemunhas, citadas à época pela imprensa, o carro em que seguia o advogado foi barrado por dois automóveis, com a ajuda de dois motociclos. Neto Valente foi depois obrigado a entrar numa das viaturas dos sequestradores que partiram a grande velocidade do local. Segundo as mesmas fontes, o carro de Neto Valente foi abandonado, juntamente com os seus sapatos e óculos. O advogado terá sido baleado na perna direita e sofrido uma fractura na mesma perna durante o sequestro.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.