Instituto Cultural vai apresentar queixa contra jovens que colaram cartazes de apoio a manifestantes

Fotografia: Arquivo

Dois jovens que na terça-feira colaram cartazes de apoio aos manifestantes de Hong Kong num edifício da Taipa vão ter que responder perante a justiça, depois do Instituto Cultural ter iniciado procedimentos legais pelo crime de dano em edifícios de interesse arquitectónico. A informação foi esta quinta-feira confirmada ao Canal Macau, da TDM, por fonte do Corpo de Polícia de Segurança Pública.

Os jovens, que enfrentam uma quadratura penal que pode chegar aos três anos de prisão, poderão ser alvo de uma segunda acusação. De acordo com a PSP, os donos dos edifícios privados onde os cartazes foram afixados estão a ponderar avançar com uma eventual acusação contra os jovens.

O caso remonta a 1 de Outubro, dia em que a República Popular da China celebrou 70 anos. Os dois jovens, com idade na casa dos 20 anos, foram interceptados por uma patrulha da PSP quando colavam cartazes de apoio aos protestos na vizinha Região Administrativa Especial de Hong Kong. Ambas acabaram por ser levados para a esquadra, onde foram interrogados e, de acordo com a polícia, “convidados a colaborar na investigação”.

Para além de declararem apoio a Hong Kong, os cartazes criticavam ainda o programa governamental de videovigilância “Eye in the Sky”. Os dois jovens pagaram ainda uma multa de 600 patacas por violação do regulamento dos espaços públicos.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.