Contrabando. Serviços de Alfândega alarmados com casos “pouco ortodoxos”

Os Serviços de Alfândega estão alarmados com alguns dos métodos a que as redes de contrabando recorrem para introduzir no território mercadorias de forma ilícita no território. Nas últimas semanas, as autoridades do território detectaram três casos de pessoas que tentavam entrar em Macau com carne fresca amarrada ao corpo.

O mais recente caso foi detectado na quarta-feira passada, quando um idoso de 65 anos, tentou entrar na RAEM com quase cinco quilos de vísceras de porco amarradas às pernas com fita adesiva. Para além da carne, o homem tentou atravessar a fronteira com quarenta maços de cigarros, que acabaram por ser confiscados pelas autoridades alfandegárias. O suspeito está sujeito ao pagamento de uma multa que oscila ente as cinco mil e as cem mil patacas.

Os Serviços de Alfândega justificam o recurso a métodos cada vez mais ousados por parte dos prevaricadores com o reforço da fiscalização e com o agravemento da quadratura penal associada ao crime de contrabando.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.