Chan Meng Kam distinguido com “honoris causa” pela Universidade de Évora

A Universidade de Évora vai atribuir, na próxima terça-feira, um doutoramento “honoris causa” ao empresário e antigo deputado Chan Meng Kam, numa cerimónia em que António Galopim de Carvalho, professor universitário jubilado também será distinguido com o mesmo título.

De acordo com um comunicado enviado à imprensa pela academia alentejana, o certame está agendado para as 15:30 de 9 de Abril e vai ter lugar na Sala dos Actos, no Colégio do Espírito Santo, principal edifício da universidade alentejana.

O Conselho Científico da Universidade de Évora justifica a atribuição do “honoris causa” a Chan Meng Kam com “o valor da personalidade em si e ao papel que tem tido no fortalecimento efectivo das relações da Universidade com Macau e com a China”.

A atribuição do título relaciona-se também com a “recente iniciativa lançada pelo governo da China, em estreita colaboração com Macau, sobre a ‘nova Rota da Seda’, a qual tem tido um impacto enorme que, sendo económico é também cultural e tecnológico”, sublinha a academia alentejana.

Natural da província continental de Fujian, Chan Meng Kam cresceu no território, onde se tornou num dos mais influentes políticos e homem de negócios locais. Nas últimas três décadas, “prestou importantes serviços sociais à população e comunidades em Macau, na China e pelo mundo”, considera o estabelecimento de ensino superior.

A Universidade alentejana justifica a atribuição do “honoris causa” a Galopim de Carvalho pelo contributo que deu à divulgação da ciência em Portugal: é “um dos maiores divulgadores de ciência em Portugal” e destacou-se “pelo seu contributo enquanto investigador” e por “ser sinónimo da disciplina científica em que se especializou”.

O “empenhamento cívico”, a “carreira ímpar”, a “sua forte ligação à cidade de Évora, onde nasceu (1931) e desenvolveu os primeiros estudos” e os “seus dotes pedagógicos que marcaram profundamente gerações de alunos, inspirando imensas carreiras profissionais”, são outros contributos destacados pelo Conselho Científico.

António Marcos Galopim de Carvalho, professor catedrático jubilado, doutorou-se em Sedimentologia (Universidade de Paris, 1964) e em Geologia (Universidade de Lisboa, 1968), tendo lecionado na Faculdade de Ciências de Lisboa (1961-2001) e na Faculdade de Letras de Lisboa (1965-1981).

Dirigiu o Museu Nacional de História Natural (1992 a 2003), assinou “vasta bibliografia científica, de divulgação e de ficção”, com 30 livros publicados e centenas de artigos em revistas científicas e jornais, tendo ainda recebido diversos prémios e condecorações.

O investigador promoveu a divulgação e preservação do património geológico nacional e impulsionou em Portugal e ao nível da UNESCO o estudo científico dos dinossauros.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.