Serviços de Saúde. Sarampo faz soar os alarmes

A Direcção dos Serviços de Saúde  reconheceram na quarta-feira que, com o surto de sarampo que se regista nos países e nas regiões vizinhas, a situação no território será este ano “potencialmente mais grave do que em anos anteriores”.

Em conferência de imprensa, o organismo liderado por Lei Chin Ion informaram que desde o início de 2019 já foram registados oito casos, quando em todo o ano de 2018 apenas foram detectados cinco. O número de ocorrências levou as autoridades a concluir que existe risco “de um aumento significativo em comparação com os números do ano transacto”.

Só nas Filipinas, em Fevereiro, tinham sido identificados mais de quatro mil casos e 70 mortos devido ao surto do sarampo.

Citado num comunicado, o coordenador do Centro de Prevenção e Controlo da Doença dos Serviços de Saúde afirmou na quarta-feira que acredita que a situação “ainda é controlável”, pelo que “não existem razões para que a acreditação [de erradicação da doença] seja retirada pela Organização Mundial da Saúde”. As autoridades sublinham, no entanto, o “grande número de trabalhadores oriundos das Filipinas e do Vietname” radicados no território, um cenário que aumenta o risco de casos importados.

A Direcção dos Serviços de Saúde voltou a fazer um apelo à vacinação na mesma conferência de imprensa em que foi dado a conhecer que “nas últimas 24 horas foram diagnosticados mais dois novos casos, um dos quais detectado numa médica que recentemente tratou um caso importado”.

Das oito pessoas diagnosticadas, cinco são casos importados e três denominados como “relacionados com sarampo importado”, esclareceram as autoridades:  “O sarampo é altamente contagioso, sendo uma doença muito comum em crianças (…) com baixa taxa de cobertura vacinal”, sublinharam os Serviços de Saúde na mesma nota.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.