Pequim visa frango brasileiro com medidas antidumping

A República Popular da China anunciou esta sexta-feira a decisão de impor tarifas antidumping ao frango do Brasil durante um período de cinco anos. O Brasil, recorde-se, é o maior produtor mundial de carne de frango.

A partir de domingo, o frango brasileiro será submetido a taxas que oscilam entre os 17,8 por cento e os 32,4 por cento. A medida é válida por cinco anos, anunciou o Ministério do Comércio da República Popular da China em comunicado.

Algumas empresas brasileiras, que se comprometeram a respeitar um preço de venda mínimo, vão ficar isentas da medida, explicou o Executivo de Pequim.

Uma investigação conduzida em 2017 revelou que as importações de frango brasileiro a preços inferiores ao custo de produção “provocavam um prejuízo importante” ao sector avícola do Continente afirma o comunicado.

Os Serviços de Alfândega chineses começaram a aplicar no ano passado um “depósito” de entre 18,8 por cento e 38,4 por cento sobre o valor das importações.

O Brasil foi o principal exportador de carne de frango congelada para a República Popular da China em 2017, com uma quota de mercado que se aproximou quase de 85 por cento do total das importações do gigante asiático, de acordo com a consultoria Zhiyan.

Desde então, o país perdeu parcelas de mercado para a  Tailândia, a Argentina ou Chile, de acordo com a mesma fonte.

A República Popular da China era o segundo maior mercado de escoamento para o frango brasileiro.

Pequim interrompeu em Março de 2017, de maneira breve, as importações de carne procedente do Brasil, na sequência do escândalo desencadeado pela operação Carne Fraca, conduzida pela polícia federal brasileira.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.