Ex-presidente da Nissan acusado de quebra de confiança e de esconder rendimentos

O ex-presidente da Nissan, Carlos Ghosn, foi acusado esta sexta-feira de quebra de confiança e de esconder rendimentos da autoridade tributária, de acordo com o Tribunal Distrital de Tóquio.

Ghosn foi detido a 19 de Novembro por alegadamente ter falsificado relatórios financeiros que não reportavam os cerca de 5 bilhões de ienes (38 milhões de euros) que deveria receber ao longo de cinco anos, até 2015, acordados com a Nissan.

Ghosn, Greg Kelly, outro executivo daquela empresa e a própria Nissan como entidade legal foram acusados ainda de terem escondido rendimentos entre os anos fiscais de 2015 a 2017.

O advogado do ex-presidente da Nissan informou que vai pedir a libertação do seu cliente sob fiança. O período de detenção de Carlos Ghosn deveria expirar esta sexta-feira. Kelly e a Nissan não foram acusados de quebra de confiança.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.