Unga tiro na iscuridâm. Três detidos por tentativa de agressão a polícia

Fotografia: Ou Mun Tin Toi/TDM;

O agente viu-se obrigado a disparar um tiro de aviso para o ar, depois de ter notificado três homens que se encontravam a fumar no exterior do Galaxy Macau. Um dos fumadores não gostou de ter sido invectivado e tentou agredir  o polícia. Os suspeitos foram esta tarde presentes a tribunal.

O Corpo de Polícia de Segurança Pública prendeu três cidadãos da República Popular da China, na sequência dos desacatos que ocorreram na noite de quinta-feira no exterior do Galaxy Macau  e que obrigaram um agente das forças da ordem a disparar um tiro de aviso para o ar.

O incidente materializou-se por volta das 23h20 de ontem, quando o agente de serviço no exterior da unidade hoteleira notificou os três suspeitos de que estariam a fumar numa área onde o cigarro era proibido.

Quando o agente solicitou a identificação aos suspeitos, um dos fumadores empurrou o polícia, que tentou afastar o agressor com o recurso ao cassetete. Duas mulheres que se encontravam no local ainda tentaram segurar o indivíduo, mostra um vídeo obtido através de telemóvel e colocado a circular nas redes sociais.

As tentativas de agressão decorreram perante o olhar impávido dos seguranças do casino, que pouco fizeram para controlar a situação. Perante a insistência do suspeito, o agente da Polícia de Segurança Pública acabou por apontar a arma para o céu e por disparar um tiro de aviso.

Numa conferência de imprensa hoje convocada, os responsáveis pelo Corpo de Polícia de Segurança Pública garantiram que o disparo não atingiu ninguém. Os três detidos, que de acordo com o agente estariam alcoolizados, deverão ser acusados de cinco ofensas criminais distintas, entre as quais tentativa de agressão e desrespeito pela autoridade.

O agente envolvido no incidente sofreu ferimentos nos braços, nas pernas e no estômago e deu entrada no Centro Hospitalar Conde de São Januário, onde foi submetido a tratamento.

Numa resposta endereçada ao jornal South China Morning Post, da vizinha Região Administrativa Especial de Hong Kong, a PSP lembrou que “os agentes das forças da ordem em Macau estão autorizados a disparar em auto-defesa se o local onde se encontram for considerado seguro, se já tiverem emitido advertências verbais e se o acto de empunhar a arma não tiver demovido os responsáveis pela ameaça”.

Durante a conferência de imprensa hoje convocada, a Polícia de Segurança Pública informou que o responsável pelas agressões demonstrou instabilidade emocional e procurou agredir o agente. Apesar de se ter tentado proteger com o cassetete, o polícia acabou por sofrer ferimentos ligeiros, vendo-se obrigado a disparar a arma com o propósito de serenar os ânimos do agressor.

Os suspeitos foram imobilizados por outros agentes das forças da ordem, que foram chamados ao local com o propósito de controlar a situação.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.