Hong Kong. Mais de cinco mil entraram em 2019 a protestar

Organizada pela Civil Human Rights Front, a iniciativa serviu para que os manifestantes demonstrassem o seu receio pela supressão crescente de liberdades na antiga colónia britânica. O prostesto terá juntado cerca de cinco milhares e meio de pessoas, de acordo com os organizadores.

Milhares de pessoas manifestaram-se na vizinha Região Administrativa Especial de Hong Kong no primeiro dia do ano num protesto contra o Governo, a favor de uma sociedade mais democrática e para demonstrarem publicamente o seu receio pela supressão crescente de liberdades.

O protesto terá juntado cerca de 5.500 pessoas, de acordo com a organização, a Civil Human Rights Front, ou cerca de 3.200 manifestantes, de acordo com a polícia, avançou o diário South China Morning Post (SCMP).

Activistas pró-independência e pró-Pequim marcaram presença numa iniciativa que ficou marcada por alguns confrontos e durante a qual alguns dos manifestantes exigiram a demissão da secretária da Justiça, Teresa Cheng Yeuk-wah, segundo o SCMP.

Em causa está o facto de esta não ter avançado com a acusação do antigo chefe do executivo de Hong Kong, Leung Chun-ying, após uma investigação sobre corrupção, mas também queixas sobre perseguição política e preocupações sobre legislação relacionada com a segurança nacional.

Durante o protesto, activistas citados pelo SCMP alegaram terem sido ameaçados.

A Civil Human Rights Front é uma organização não-governamental formada em 2002 com intervenção pública na área das políticas pró-democracia e de desenvolvimento social.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.