Governo apresentou plano para tornar Macau numa cidade inteligente

O Executivo apresentou esta quarta-feira o plano, já em andamento, para a construção de uma cidade inteligente no território, em cooperação com o grupo Alibaba. O projecto centra-se  no tráfego de veículos e no turismo.

Com pouco mais de 30 quilómetros quadrados e uma das maiores densidades populacionais do mundo, o território recebeu, em 2017, 32,61milhões de visitantes e tem cerca de 230 mil veículos motorizados. Os números fizeram o Governo querer implementar uma cidade inteligente para controlar melhor o tráfego de veículos e de pessoas.

No início do próximo ano, vão entrar em vigor três projectos na área do turismo: plataforma de trocas de dados do turismo,aplicação de observação dos visitantes e aplicação do fluxo de visitantes,explicou a directora da Direcção dos Serviços de Turismo (DST), Maria Helena deSenna Fernandes, em conferência de imprensa.

“Macau é uma cidade turística e por isso o turismo inteligente é muito importante para a cidade”, disse a responsável, sublinhando que o território tem de “aproveitar a tecnologia em nuvem” para, entre outras,“desviar turistas de locais congestionados para outros locais turísticos (…)monitorizando em tempo real para melhor utilizar os recursos turísticos”.

O Governo de Macau e o grupo Alibaba assinaram um acordo-quadro, em Agosto de 2017, que prevê o estabelecimento de um centro de computação em nuvem (conjunto de servidores remotos alojados na Internet para armazenar, gerir e processar dados em vez dos servidores locais ou de computadores pessoais) e de uma plataforma de mega-dados para a criação de uma cidade inteligente.

Na mesma ocasião, o especialista em inteligência de máquinas da AliCloud, Zhu Jintong, explicou que a recolha de dados tem de ser feita de forma rápida, “não mais de 10 minutos” e por isso foram instaladas câmaras inteligentes.

A monitorização, em tempo real, sublinhou o responsável, é feita em várias áreas, como na “saída e entrada dos postos fronteiriços”, em 20 locais turísticos e até em relação ao clima.

Em relação ao ‘trânsito inteligente’, o objectivo passa por “utilizar de forma eficiente a tecnologia de computação em nuvem e da aplicação de mega-dados do Alibaba Cloud”, disse o director da Direcção dosServiços para os Assuntos de Tráfego de Macau, Lam Hin San, em conferência de imprensa.

Já foram instalados GPS em mais de 900 autocarros, 100táxis e 500 ‘shuttle bus’ (autocarros gratuitos fornecidos pelos casinos do território) para se estudar os índices de congestionamento das vias: “No futuro, os cidadãos podem estar a par e prever a situação de congestionamento de vias, através de uma aplicação móvel”, explicaram os Serviços para osAssuntos de Tráfego. “Podemos prever o estado do transito daqui a uma hora (…),que carreiras é que precisam de um ajustamento” e desta forma “conhecer melhora situação do transito e tomar uma decisão”, sublinhou Lam Hin San.

A optimização inteligente dos tempos dos semáforos é também um dos objectivos das autoridades e já estão a ser feitos testes naAvenida da Praia Grande (uma das estradas mais movimentadas do território)através da integração de vários tipos de dados analisados em tempo real deforma a proporcionar soluções de optimização da temporização dos semáforos: “Desde que iniciámos os testes, já conseguimos reduzir o congestionamento desta via em20 por cento”, disse um responsável dos serviços de trânsito aos jornalistas, durante uma visita ao Centro de Controlo e Informação de Tráfego.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.