Portugal assina acordo para consolidar o ensino do português em Castela e Leão

Fotografia: Castillo de la Mota, em Castela e Leão.

O acordo, assinado entre o Instituto Camões e o Governo da Comunidade Autónoma de Castela e Leão remata uma série de compromissos idênticos assinados com as demais regiões espanholas que fazem fronteira com Portugal. Actualmente, são mais de 50 mil os alunos que estão a aprender português como língua estrangeira em Espanha.

Portugal e o Governo da comunidade autónoma espanhola de Castela e Leão assinaram na quinta-feira em Valladolid, Espanha, um memorando de entendimento para consolidar o ensino do português como língua estrangeira no sistema educativo não universitário daquela região espanhola.

O compromisso estabelece as “medidas de colaboração” para o desenvolvimento de acções de cooperação educativa entre o instituto Camões e aquela região espanhola, através da “Consejería” (ministério regional) da Educação da comunidade autónoma, reforçando o ensino da língua e da cultura portuguesas naquela região espanhola.

De acordo com um comunicado à imprensa distribuído pelo Instituto Camões, o memorando pretende também “fomentar” a promoção de iniciativas transfronteiriças em matéria de formação, ensino e aprendizagem das línguas espanhola e portuguesa no âmbito não universitário.

A assinatura do documento completa uma série de compromissos idênticos com todas as regiões espanholas que fazem fronteira com Portugal, em matéria de ensino do português em Espanha.

Para o organismo responsável pela divulgação da cultura portuguesa no estrangeiro, a assinatura do documento reconhece e reforça a “importância crescente da língua portuguesa como idioma de comunicação internacional, língua de ciência, língua de trabalho nas organizações internacionais, bem como o seu valor e peso económico no mundo actual”.

Actualmente estão a aprender português como língua estrangeira 50.889 alunos, sendo o seu ensino assegurado por 322 professores espanhóis de português nas comunidades autónomas da Andaluzia, Castela e Leão, Extremadura e Galiza, regiões com as quais foram assinados memorandos idênticos.

O documento foi assinado pelo presidente do instituto Camões, Luís Faro Ramos, e a “Junta” (Governo regional) de Castela e Leão esteve representada pelo seu conselheiro (ministro regional) da Educação, Fernando Rey Martínez.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.