“Ainda não estou a correr ao ritmo que ambicionava”, confessa Rui Valente (c/vídeo)

O veterano piloto macaense já não disputava uma das corridas de maior cartaz do Grande Prémio de Macau desde 1999. No regresso à Corrida da Guia – que este ano decide o título no âmbito da edição inaugural da Taça do Mundo de Carros de Turismo – Valente ambiciona ser o melhor dos cinco pilotos do território que disputam a prova, mas o primeiro dos quatro dias de competição no âmbito da edição de 2018 do Grande Prémio de Macau não correu de feição ao veterano.

“A primeira sessão de treinos livres serviu para treinar, a segunda para melhorar os tempos. Conseguimos retirar quase dois segundos ao tempo alcançado na primeira sessão. Estamos a andar mais, mas ainda não estamos no limite, ainda não estamos a fazer aquilo que a equipa pensava fazer já hoje”, reconheceu Valente, que se apresenta no Circuito da Guia ao comando de um Volkswagen Golf GTI TCR. A entrevista ao Expediente Sínico.

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.