Dia dos solteiros. Consumidores chineses gastaram quase 31 mil milhões de dólares

O montante representa um aumento de 27 por cento face aos ganhos registados em 2017. O recorde de gastos foi quebrado às 16 horas de domingo. Para Jack Ma, patão do grupo Alibaba, o dia não é tanto sobre consumo, mas fundamentalmente sobre gratidão.

 

Os consumidores chineses estabeleceram um novo recorde de gastos ‘online’ durante o “Dia dos Solteiros”, com as principais plataformas chinesas a facturarem, no total, 30,8 mil milhões de dólares, qualquer coisa como 27,3 mil milhões de euros.

O valor dos gastos representa um acréscimo de 27 por cento, face ao ano passado. Lançado em 2009 pelo gigante do comércio electrónico chinês Alibaba, que opera os populares ‘sites’ de compras Taobao e Tmall, o “Dia dos Solteiros” consiste em promoções nas empresas de comércio electrónico e grandes armazéns.

Durante a gala que marcou o dia, em Xangai, um ecrã exibiu em tempo real os gastos. Antes das 16:00 horas de domingo (09:00 em Lisboa), as vendas tinham alcançado os 24,2 mil milhões de dólares (21,1 mil milhões de euros), superando o total registado no ano passado.

O director executivo do Alibaba, Daniel Zhang, considerou que os resultados reflectem a “força e crescimento da economia de consumo” no país. O “Dia dos Solteiros” começou a ser celebrado na China nos anos 1990 por estudantes universitários. A data escolhida é 11 de Novembro pelos quatro ‘um’ que combinam neste dia (11/11), que afigura assim a condição de solteiro.

O Alibaba acabou por associar o dia a descontos em compras ‘online’.

No Weibo, o Twitter chinês, vários comentários assinalaram o dia: alguns utilizadores anunciaram orgulhosamente que tinham resistido ao ímpeto do consumo, enquanto outros exibiam uma lista com todo o tipo de produtos adquiridos.

Jack Ma, o fundador do grupo Alibaba e um dos homens mais ricos da República Popular da China, afirmou durante a abertura da gala em Xangai que o Dia dos Solteiros “não é um dia de descontos, mas antes de gratidão”: “É quando os retalhistas usam os melhores produtos e melhores preços como forma de agradecimento aos consumidores”, disse.

A data acarreta também grandes impactos ambientais. Enquanto as plataformas de comércio electrónico se comprometeram a utilizar embalagens biodegradáveis como forma de reduzir o desperdício, uma pesquisa realizada este mês pela Greenpeace revela que muitos dos plásticos classificados como biodegradáveis e usados pelos retalhistas chineses podem ser destruídos apenas sob altas temperaturas, em instalações que são ainda raras no país.

A organização ambiental estima que, em 2020, este tipo de embalagens produzirá o equivalente a 721 cargas de camião de lixo, por dia, no país.

 

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.