Jogo. Concessionárias norte-americanas enchem o bolso em Macau

As três operadoras de jogo norte-americanas que operam no território obtiveram em Macau mais de metade das receitas que geraram entre Julho e Setembro. As três concessionárias obtiveram na RAEM proveitos da ordem dos 4,05 mil milhões de dólares, valor que corresponde a 55,6 por cento do total do dinheiro amealhado pelas empresas.

Mais de metade das receitas dos três gigantes norte-americanos do jogo proveem de Macau e não dos Estados Unidos, um resultado que reforça a posição do território administrado pela China como capital mundial do jogo.

A Las Vegas Sands, a MGM Resorts e o grupo Wynn Resorts apresentaram no terceiro trimestre do ano receitas em Macau de cerca de 4,05 mil milhões de dólares (3,57 mil milhões de euros): um montante que representa 55,6 por cento dos resultados globais que incluem o valor assegurado nos Estados Unidos da América.

Ao todo, os três grupos arrecadaram no terceiro trimestre 8,05 mil milhões de dólares (7,1 mil milhões de euros) nas operações em Macau, Estados Unidos e nos restantes países onde têm investimentos.

Dos três, o MGM foi o único que registou mais ganhos nos Estados Unidos do que em Macau: 2,39 mil milhões de dólares ganhos com os 15 ‘resorts integrados’ do grupo nos Estados Unidos, contra 606 milhões nos dois empreendimentos naquele território asiático. Apesar disso, o ‘resort integrado’ do grupo com mais receitas foi o MGM Macau, onde a empresa gerou proveitos de 434 milhões de dólares.

Já a Wynn Resorts, grupo fundado pelo magnata Steve Wynn, registou, em Macau, no único local na China onde o jogo em casino é legal, 76,4 por cento do total das receitas do grupo no terceiro trimestre (1,7 mil milhões de dólares).

Finalmente, a Las Vegas Sands obteve 3,37 mil milhões de dólares de receitas. Destas, 63,8 por cento resultam das operações do grupo em Macau. Nos Estados Unidos da América o grupo arrecadou 444 milhões de dólares e em Singapura, através do seu ‘resort integrado’ Marina Bay Sands, 766 milhões de dólares entre Julho e Setembro de 2018.

“O desenvolvimento do jogo na Ásia esmaga o resto do mundo”, disse o analista de jogo Grant Govertsen, director Executivo da Union Gaming, no início do mês.

Num evento promovido pela Associação Comercial Britânica em Macau (BBAM, na sigla inglesa), Grant Govertsen apresentou dados que estimam que entre 2015 e 2021 vão ser investidos pelos operadores de jogo em Macau mais de 28 mil milhões de dólares em novas infra-estruturas. Destes, mais de 10,5 mil milhões têm origem em investimento norte-americano.

Em resposta à Agência Lusa, o fundador da Newpage Consulting, consultora especializada em regulação de jogos no território, afirmou que no global “as receitas de jogo em Macau são pelo menos três vezes maiores do que no estado do Nevada, Estados Unidos”.

Os casinos de Macau apresentaram receitas brutas acumuladas nos dez primeiros meses do ano de 251.383 milhões de patacas (27.454 milhões de euros), um aumento de 14,3 por cento em relação ao mesmo período do ano anterior, de acordo com dados oficiais recentemente divulgados.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.