“Nomes dos campeões ficarão gravadas na história do futebol chinês”, diz Vítor Pereira

Em declarações prestadas à imprensa chinesa logo após a conquista do título chinês de futebol, Vítor Pereira considerou merecido o triunfo do SIPG, dada a grande regularidade da equipa ao longo da temporada. O técnico português considera ainda que os atletas que ofereceram o título ao Shanghai SIPG conquistaram por direito próprio um lugar na história do desporto-rei da República Popular da China.

O treinador português Vítor Pereira disse esta quarta-feira que os nomes dos novos campeões chineses de futebol ficarão “gravados na história do clube e do futebol chinês”, em declarações prestadas momentos depois de ter levado o Shanghai SIPG à conquista do seu primeiro título.

“Esta conquista deixará os nossos nomes gravados na história do clube e do futebol chinês. Devo lembrar que para a maioria destes jogadores este é o primeiro título das respectivas carreiras”, afirmou o treinador português, em declarações aos órgãos de comunicação social chineses.

A equipa de Xangai conquistou o título a uma jornada do fim do campeonato, ao impor-se por 2-1 na recepção ao Beijing Renhe, com golos do uzbeque Odil Akhmedov, aos 20 minutos, e do goleador Wu Lei, aos 47. O senegalês Makhete Diop reduziu aos 65.

“Conquistámos este campeonato com muito trabalho. Liderámos o campeonato durante a maioria das jornadas, o que demonstra a nossa regularidade e maturidade. Merecemos este título” observou Vítor Pereira, prometendo “continuar a trabalhar no próximo ano para revalidar o título”.

Vítor Pereira, de 50 anos, sagrou-se campeão em três países diferentes, depois dos títulos conquistados em Portugal, no FC Porto (2012 e 2013), e na Grécia, no Olympiacos (2015). Na China, quebrou a hegemonia do Guangzhou Evergrande, campeão chinês nas sete épocas anteriores, as últimas três sob o comando do brasileiro Luiz Felipe Scolari, antigo seleccionador português.

O Shanghai SIPG, que se tornou o oitavo clube a conquistar o título na República Popular da China, teria assegurado o troféu mesmo que perdesse, uma vez que o heptacampeão foi derrotado por 2-0 no estádio do Chongqing Lifan, antiga equipa de Paulo Bento, com golos dos brasileiros Sebá, ex-jogador do FC Porto e Estoril Praia, e Fernandinho.

“Acabámos com o monopólio do Guangzhou Evergrande, que dominou o futebol chinês nos últimos sete anos. Foi um desafio incrível e nós conseguimos superá-lo. Este é o meu primeiro ano na China, onde me sinto muito feliz”, afirmou.

O técnico português, que em Dezembro de 2017 sucedeu a André Villas-Boas no comando do Shanghai SIPG, sagrou-se campeão logo na época de estreia na equipa de Xangai, tal como tinha acontecido em 2011, no FC Porto, depois de também ter substituído o compatriota.

Vítor Pereira tornou-se o terceiro treinador luso a conquistar o título em três países, juntando-se a Artur Jorge, campeão em Portugal (FC Porto), França (Paris Saint-Germain) e Arábia Saudita (Al-Hilal), e a José Mourinho, que foi campeão em quatro países: Portugal (FC Porto), Espanha (Real Madrid), Inglaterra (Chelsea) e Itália (Inter Milão).

O técnico natural de Espinho foi o único dos três treinadores portugueses que iniciou e terminou a temporada na China – e logo como campeão – uma vez que Paulo Bento e Paulo Sousa rescindiram os contratos com Chongqing Lifan e o Tianjin Quanjian, respectivamente.

 

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.