China disponível para ajudar o Paquistão a superar crise fiscal

O primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, e o seu homólogo paquistanês, Imran Khan, estiveram hoje reunidos em Pequim para discutir a resolução da crise fiscal no Paquistão. Pequim mostrou-se disponível para ajudar as autoridades de Islamabad, mas as condições do apoio ainda estão a ser discutidas.

O Governo chinês mostrou-se hoje disponível para oferecer assistência ao Paquistão com o intuito de ajudar o país a superar a actual crise fiscal. Pequim sublinhou, no entanto, que as condições ainda estão a ser discutidas.

O anúncio do vice-ministro dos Negócios Estrangeiros, Kong Xuanyou, surgiu depois de uma reunião, em Pequim, entre o primeiro-ministro chinês Li Keqiang e o recém-eleito primeiro-ministro do Paquistão, Imran Khan.

O responsável chinês escusou-se, no entanto, a avançar o montante específico da ajuda que a China está disposta a oferecer.

A emergente crise fiscal no Paquistão tem levantado dúvidas sobre a capacidade do país devolver os empréstimos concedidos por Pequim no âmbito da iniciativa chinesa “Uma Faixa, uma Rota”.

A República Popular da China prometeu mais de 60 mil milhões de dólares ao Paquistão, através de empréstimos e investimentos, para estradas, portos e parques industriais.

Anunciada pelo Presidente chinês, Xi Jinping, a iniciativa “Faixa económica da rota da seda e a Rota da seda marítima do século XXI”, mais conhecida como “Uma Faixa, Uma Rota”, está avaliada em 900 mil milhões de dólares e visa reactivar as antigas vias comerciais entre a República Popular da China e a Europa através da Ásia Central, África e Sudeste Asiático.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.