Washington limita venda de tecnologia a empresa chinesa de semicondutores

A empresa em questão é a Fujian Jinhua Integrated Circuit Co. A fabricante chinesa de semicondutores mantem um diferendo judicial com a norte-americana Micron Technologies, que acusa a empresa chinesa de usurpar a sua tecnologia.

Os Estados Unidos da América anunciaram esta terça-feira restrições nas vendas de tecnologia para um fabricante chinês de semicondutores, apontando motivos de segurança nacional, numa altura em que Washington tenta travar as ambições chinesas para o sector tecnológico.

Os entraves impostos às compras pela firma Fujian Jinhua Integrated Circuit Co. reflectem as preocupações da Casa Branca com a competição chinesa, que ameaça o domínio dos EUA nos sectores de alto valor agregado e os fornecedores de tecnologia norte-americanos.

Pequim está a investir milhares de milhões de dólares para formar fabricantes de ‘chips’ como a Jinhua, visando transformar o país em líder global nos sectores robótica ou inteligência artificial.

Os Estados Unidos da América consideram que a estratégia de Pequim viola os seus compromissos em abrir o mercado, nomeadamente ao forçar empresas estrangeiras a transferirem tecnologia e ao atribuir subsídios às firmas domésticas, enquanto as protege da competição externa.

Washington está ainda apreensivo com a erosão da liderança dos EUA no sector.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou já taxas sobre um total de 250 mil milhões de dólares (212 mil milhões de euros) de importações oriundas da República Popular da China, visando pressionar o país a recuar nos seus planos.

A Jinhua está a obter “capacidade de produção substancial” para circuitos integrados, possivelmente recorrendo a tecnologia norte-americana, o que “ameaça a longo termo a viabilidade económica dos fornecedores dos Estados Unidos da América destes componentes essenciais para os sistemas militares” dos Estados Unidos, lê-se no comunicado do Departamento do Comércio.

A empresa passou a fazer parte da “Lista de Entidades” que são obrigadas a requerer uma licença para compra de software, tecnologia e matérias-primas. A mesma nota avisa que aqueles pedidos serão “revistos com o pressuposto de recusa”: “Isto vai limitar a habilidade [da Jinhua] para ameaçar a cadeia de fornecimento de componentes essenciais aos nossos sistemas militares”, justifica o secretário do Departamento de Comércio, Wilbur Ross.

A Jinhua está já envolvida numa disputa judicial com o fabricante de ‘chips’ norte-americano Micron Technology Inc., que acusa a firma chinesa de usurpar a sua tecnologia.

O Micron processou a Jinhua, em Dezembro passado, num tribunal federal no estado da Califórnia. No mês seguinte, a Jinhua processou a empresa norte-americana num tribunal chinês e obteve ordem para bloquear as vendas de alguns produtos do Micron.

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.