Poluição atmosférica mata 600 mil crianças por ano

O alerta foi dado esta segunda-feira pelo director-geral da Organização Mundial de Saúde, o etíope Tedros Adhanom Ghebreyesus. O responsável definiu a poluição como a maior crise de saúde pública com que a Humanidade se depara e lembrou que as crianças são particularmente vulneráveis aos efeitos da poluição.

A poluição atmosférica causa todos os anos a morte de cerca de 600 mil crianças com menos de 15 anos em todo o mundo, devido a infecções agudas das vias respiratórias, alertou na segunda-feira a Organização Mundial de Saúde (OMS).

A poluição do ar é o “novo tabaco”, sublinhou o director-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, no portal electrónica da organização. A OMS promove até hoje, em Genebra, a primeira conferência mundial sobre “A poluição do ar e a saúde”.

A Organização Mundial de Saúde publicou um relatório que indica que todos os dias cerca de 93 por cento das crianças com menos de 15 anos em todo o mundo respiram ar poluído, que prejudica gravemente a sua saúde e o seu desenvolvimento.

Segundo estimativas da OMS, mais de 91 por cento dos habitantes do planeta respiram ar poluído, o que provoca sete milhões de mortes anualmente: “Esta crise de saúde pública merece uma maior atenção, mas existe um aspecto particularmente negligenciado: a forma como a poluição afeta particularmente as crianças”, refere o relatório da OMS.

Em 2016, a poluição do ar no interior das casas e no exterior provocou a morte de 543 mil crianças com menos de cinco anos e de 52 mil crianças com idades compreendidas entre os 5 e os 15 anos em consequência de infecções graves das vias respiratórias, divulga ainda o relatório.

O estudo explica também que as mulheres grávidas expostas a ar poluído são mais susceptíveis de terem partos prematuros e de darem à luz bebés com baixo peso.

A poluição do ar afecta igualmente o desenvolvimento neurológico e as capacidades cognitivas das crianças. Assim, as crianças expostas a níveis mais elevados de poluição correm o risco de desenvolver doenças crónicas e problemas cardiovasculares em idade adulta.

Uma das razões pelas quais as crianças são especialmente vulneráveis aos efeitos da poluição atmosférica é a de que respiram mais rapidamente do que os adultos, absorvendo com maior facilidade os agentes poluentes.

Os recém-nascidos e as crianças são igualmente vulneráveis à poluição do ar no interior das casas, uma vez que o uso regular de instrumentos tecnológicos e de combustíveis para cozinhar afetam a qualidade do ar.

Na opinião da directora do departamento de Saúde Pública da Organização Mundial de Saúde, Maria Neira, a prioridade da comunidade internacional terá de ser acelerar a transição para fontes de energia limpas e renováveis.

 

 

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.