Brasil é um dos países parceiros do Fórum de Economia de Turismo em 2019

O outro é a Argentina. O anúncio foi esta quarta-feira feito, durante o encerramento da edição de 2018 do certame, que hoje terminou em Macau. Tanto Brasília como Buenos Aires tencionam aproveitar a oportunidade para atrair tanto investidores, como turistas asiáticos.

O Brasil é um dos dois países parceiros do Fórum de Economia de Turismo Global de Macau em 2019, uma oportunidade que o país tenciona aproveitar para atrair investidores e turistas asiáticos, disse esta quarta-feira um responsável brasileiro.

“Macau é uma oportunidade para capitalizar turistas asiáticos” e “para chamar investidores chineses a juntarem-se ao Brasil” na área do turismo, afirmou o representante do Ministério do Turismo do Brasil, Rafael Luisi.

Num dos discursos que encerrou o evento que juntou mais de um milhar de participantes, autoridades e líderes de empresas privadas de vários países do mundo durante dois dias, Rafael Luisi destacou o potencial que esta oportunidade representa para o Brasil “na área da cooperação global”.

Brasil e Argentina são os dois países parceiros da 8.ª edição agendada para 2019, enquanto Jiangsu é a província chinesa convidada.

Já o secretário para a Coordenação e Investimento do Ministério do Turismo argentino, Sebastián Slobayen, referiu que “Macau é uma cidade de oportunidades” que o seu país quer aproveitar, “seja a visitar, seja a investir”.

Na mesma cerimónia de encerramento, o secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Alexis Tam, defendeu a necessidade de se apostar na tecnologia, na criatividade, nas artes e no património de forma a contribuir para o desenvolvimento do turismo no território: “De olhos postos no futuro, temos de reforçar os elementos culturais no turismo e aproveitar o turismo para divulgar a cultura”, sustentou. “No ano passado, Macau conseguiu a designação de cidade de gastronomia da Rede das Cidades Criativas das Nações Unidas”, razão pela qual o Governo “irá empenhar esforços para transformar Macau numa cidade criativa não só na gastronomia, como também no ‘design’, cinema, literatura, música, artes multimédia, artesanato, artes tradicionais e tecnologias inovadoras”, acrescentou Alexis Tam.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.