Turismo cresce a ritmo “incrível”. O milagre deve-se à China

Macau é um dos destinos mais solicitados do mundo e a transformação fica-se a dever à República Popular da China. Esta foi a mensagem que a presidente do Conselho Mundial de Viagens e Turismo deixou hoje no Fórum de Economia de Turismo Global. Glória Guevara-Manzo qualificou de “impressionantes” as previsões relativas ao crescimento do sector no território.

O turismo em Macau cresce a “um ritmo incrível” e a transformação no território e no cenário mundial deve-se à China, defendeu esta terça-feira a presidente do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC, na sigla em inglês).

“Não só está a crescer a um ritmo incrível, como as projecções são impressionantes”, sublinhou Gloria Guevara-Manzo, na cerimónia de abertura do Fórum de Economia de Turismo Global. A iniciativa arrancou esta manhã no território e termina na quarta-feira.

O relatório anual das cidades do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC, na sigla em inglês) divulgado na segunda-feira mostra que a região Administrativa especial de Macau (RAEM) foi a segunda que mais cresceu em 2017, com um contributo do turismo para o PIB na ordem dos 14,2 por cento.

Entre as 72 cidades turísticas mais importantes do mundo, Macau ficou apenas atrás do Cairo, capital do Egipto, cidade em que o sector do turismo contribuiu com 34,4 por cento para o Produto Interno Bruto local.

Maria Helena de Senna Fernandes, directora dos Serviços de Turismo, considerou que “é encorajador” o facto de o território ser apontado como segundo a nível mundial que mais cresceu em 2017 em termos de contributo do turismo para o PIB.

“É encorajador” e “é benéfico para todos os sectores, desde a cultura, indústria criativa e de eventos”, sublinhou Maria Helena de Senna Fernandes.

No discurso proferido na cerimónia de abertura do Fórum de Economia de Turismo Global, Gloria Guevara-Manzo lembrou que o turismo vale 10,4 por cento do Produto Interno Bruto mundial e que um em cada dez empregos pertence ao sector, sendo que um em cada cinco foram criados por esta indústria em 2017.

O sector privado vai criar nos próximos dez anos 100 milhões de empregos na indústria do turismo, destacou, defendendo que uma das prioridades da organização passa por “criar pontes entre os Governos e criar empregos”.

O Fórum de Economia de Turismo Global vai debater até quarta-feira “o impacto da cooperação estratégica de turismo China-União Europeia”, segundo a organização. A sétima edição do evento conta com mais de um milhar de participantes e reúne autoridades e líderes de empresas privadas de vários países do mundo.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.