Federação da Juventude quer melhorias no intercâmbio com os países lusófonos

Os dirigentes do capítulo local do organismo estiveram reunidos com o Chefe do Executivo e sugeriram que o Governo privilegie o intercâmbio com os países lusófonos nas Linhas de Acção Governativa para o próximo ano. Durante o encontro que mantiveram com Chui Sai On foram abordadas questões como a formação de quadros qualificados, os assuntos sociais ou o contributo dos jovens para o projecto da “Grande Baía”.

A Federação da Juventude da China pediu esta segunda-feira ao Governo de Macau que inclua nas suas linhas de acção governativa o aperfeiçoamento do intercâmbio com os países de língua portuguesa.

De acordo com um comunicado do Executivo, os membros de Macau do organismo pediram alterações ao “Programa de Intercâmbio de Inovação e Empreendedorismo para Jovens da China e dos Países de Língua Portuguesa”.

O pedido foi realizado num encontro com o chefe do Executivo, Fernando Chui Sai On, no qual se procurou auscultar os jovens sobre as Linhas de Acção Governativa para o próximo ano.

Na reunião, foi abordada a formação de quadros qualificados, assuntos sociais e a integração dos jovens no desenvolvimento da Grande Baía, um projecto que visa criar uma metrópole mundial capaz de rivalizar com São Francisco e com Tóquio em termos económicos a partir dos territórios de Hong Kong, Macau e ainda de nove localidades da província chinesa de Guangdong: Cantão, Shenzhen, Zhuhai, Foshan, Huizhou, Dongguan, Zhongshan, Jiagmen e Zhaoqing.

Outras das sugestões apresentadas pela Federação Juvenil dizem respeito à concessão de subsídios especiais para quem cuida de crianças com necessidades especiais, à criação de uma comissão de coordenação na área da ciência e tecnologia e ao reforço do “Plano de Apoio a Jovens Empreendedores”.

Durante a reunião, Chui Sai On sublinhou a importância do projecto da Grande Baía na criação de oportunidades para os jovens de Macau nos sectores da inovação, do empreendedorismo, do emprego, dos estudos académicos e da investigação.

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.