BNU pronto para apoiar investimentos em Portugal, África e China

A garantia foi esta sexta-feira dada por Carlos Cid Álvares durante o IV Fórum de Jovens Empresários entre a China e os Países de Língua Portuguesa. O responsável assegura que o banco está preparado para apoiar os empresários que queiram investir quer na China, quer nos países lusófonos.

O presidente executivo do Banco Nacional Ultramarino (BNU) em Macau, Carlos Álvares, garantiu esta sexta-feira que a instituição está preparada para apoiar os empresários que queiram investir em Portugal, África e na República Popular da China.

O BNU “pode assumir-se como uma porta de entrada na China” e, uma vez que beneficia “de uma relação estreita com o universo do grupo Caixa Geral de Depósitos”, do qual faz parte, pode ser importante na promoção de “investimento de empresas chinesas em Portugal”, argumentou o responsável.

No caso de Portugal, Carlos Cid Álvares destacou “a grande abertura para o investimento estrangeiro”, o regime fiscal, a qualidade de vida, a segurança e os vistos ‘gold’ como atractivos para os empresários lusófonos e chineses.

As declarações do responsável pelo BNU foram realizadas durante o IV Fórum de Jovens Empresários entre a China e os Países de Língua Portuguesa, que decorreu na Feira Internacional de Macau (MIF, na sigla em inglês), o maior evento para a promoção do comércio e investimento do território, e no qual Moçambique e a província chinesa de Fujian se assumem como parceiros da 23.ª edição. A iniciativa recebe a participação de mais de 50 países e regiões até sábado.

O BNU é, juntamente com o Banco da China, banco emissor de moeda em Macau e conta actualmente com 20 agências, incluindo uma na Ilha da Montanha, em Zhuhai, cidade chinesa vizinha da Região Administrativa Especial de Macau.

O BNU em Macau espera atingir lucros superiores a 64 milhões de euros no final do ano, segundo o líder daquela instituição. O banco fechou o primeiro semestre do ano com lucros de 310,8 milhões de patacas (33,2 milhões de euros), menos 3,15 por cento em relação ao mesmo período de 2017.

Os lucros do Banco Nacional Ultramarino tinham registado uma subida de 26 por cento em 2017 para 706 milhões de patacas, qualquer coisa como 70 milhões de euros.

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.