Índia. Zika ganha contornos de epidemia no Rajastão

As autoridades sanitárias indianas já confirmaram 80 casos de infecção pelo vírus Zika, 22 das quase em mulheres grávidas. Na cidade de Jaipur, capital do Rajastão, mais de 330 equipas percorrem desde o início do mês as ruas com o propósito de eliminar eventuais focos de contaminação.

A Índia regista pelo menos 80 casos confirmados de infecção pelo vírus Zika, entre os quais 22 mulheres grávidas, no estado do Rajastão, desde o mês de Setembro, anunciaram esta quarta-feira as autoridades locais.

O país, onde o mosquito Aedes aegypti, principal vector de transmissão, é muito difundido, registou os primeiros casos de Zika em Janeiro de 2017 no estado vizinho, Gujarat. Em Jaipur, capital do Rajastão, 330 equipas especiais patrulham a cidade para erradicar os mosquitos com pulverizadores e aparelhos de fumigação.

“A sensibilização é vital no controlo das doenças que se transmitem por este vector. Faremos tudo para informar as pessoas”, declarou o ministro da saúde, JP Nadda, num comunicado citado pela Agência France Press..

O vírus Zika foi detectado também no estado indiano de Tamil Nadu, no sul do país, em Julho de 2017. Desde a epidemia em grande escala do vírus Zika em 2015, cerca de 1,5 milhões de pessoas em mais de 70 países foram infectadas, principalmente na América do Sul.

Em alguns casos, a contaminação de mulheres grávidas resultou no nascimento de crianças com microcefalia, um défice no crescimento cerebral. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), nenhuma vacina poderá estar disponível contra esta doença antes de 2020.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.