Andante e Maria Rouco são os nomes fortes da primeira edição do “Conta-me histórias”

Fotografia: A contadora de histórias Maria Rouco é um dos nomes fortes da primeira edição do "Conta-me histórias".

A edição inaugural do encontro “Conta-me histórias” arranca já este sábado e traz ao território a contadora de histórias Maria Rouco e a Andante Associação Artística. A iniciativa surge no âmbito das celebrações do 5 de Outubro e leva a vários estabelecimentos de ensino do território teatro e narrativas de natureza oral.

A Andante Associação Artística e a contadora de histórias Maria Rouco são as apostas da Casa de Portugal para a edição inaugural do encontro “Conta-me histórias”, uma iniciativa que visa promover a importância e a diversidade da tradição oral nas suas mais variadas acepções.

Entre 3 e 13 de Outubro, o Auditório do Consulado Geral de Portugal em Macau e Hong Kong, o Instituto Português do Oriente e várias instituições de ensino acolhem espectáculos e intervenções quer da Associação Artística, quer de Maria Rouca.

A Andante traz ao território as peças “Afinal o Caracol”, “Andante (des)Concertante” e “Aleatório”. As três intervenções artísticas dirigem-se a um público infanto-juvenil, ainda que diferenciado em termos etários. A peça “Afinal o Caracol” dirige-se a crianças com idades compreendidas entre os seis meses e os cinco anos e sobe ao palco no sábado e na segunda-feira no Jardim de Infância D. José da Costa Nunes e na terça-feira de manhã na Escola Luso-Chinesa da Flora. Os espectáculos previstos para sábado, 6 de Outubro, são abertos ao público. A Andante Associação Artística tem ainda previstos espectáculos no Instituto Português do Oriente e na Universidade de Macau.

Já Maria Rouco actua na Escola Portuguesa de Macau, na Escola Luso-Chinesa da Flora e na Escola Oficial Zheng Guanying. As contadora de histórias tem um percurso de alguns anos como narradora em contextos diversificados, que abrangem desde escolas a centros de formação. Rouco actua também em espaços para os mais velhos. Apaixonada pela literatura de tradição oral, a contadora de histórias participou em sessões de formação com formadores portugueses e estrangeiros.

O encontro “Conta-me histórias” é organizado pela Casa de Portugal em Macau, conta com o apoio do Instituto Português do Oriente e materializa-se no âmbito das celebrações do 5 de Outubro, o dia da instauração da República em Portugal: “A Casa de Portugal em Macau distingue todos os anos a 5 de Outubro os melhores alunos de língua portuguesa de algumas instituições locais. O “Conta-me histórias” surge com o propósito de atribuir uma maior preponderância às celebrações do 5 de Outubro”, explicou Diana Soeiro, coordenadora da Casa de Portugal, em declarações ao “Expediente Sínico”.

Os espectáculos previstos para sábado, para o Jardim de Infância D.José da Costa Nunes, são os únicos em que a entrada se faz mediante a apresentação de bilhete. Os ingressos são distribuídos na sede da Casa de Portugal em Macau, frente às instalações do Consulado Geral de Portugal em Macau e Hong Kong, até ao final da semana.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.