Indonésia. União Europeia vai apoiar esforços de socorro com 1,5 milhões de euros

Para além de Bruxelas, também a França se comprometeu a enviar apoio para a zona afectada por dois sismos e um maremoto na sexta-feira. O número de vítimas já supera as oito centenas, mas Jakarta já admitiu que o número de vítimas mortais pode chegar aos milhares.

A União Europeia (UE) vai disponibilizar 1,5 milhões de euros para prestar ajuda humanitária de emergência às vítimas do sismo e do tsunami que afectaram na sexta-feira a ilha indonésia de Sulawesi, foi este domingo divulgado.

O mais recente balanço das autoridades locais dá conta de 832 mortos, bem como de 540 pessoas hospitalizadas e de 16.732 deslocados. O governo indonésio já admitiu que o número de vítimas mortais pode chegar aos milhares.

A ajuda de Bruxelas vai servir para “fornecer bens essenciais como comida, abrigos, água, produtos médicos e de saúde”, referiu o comissário europeu para a Ajuda Humanitária e Gestão de Crises, o cipriota Christos Stylianides, citado num comunicado este domingo divulgado.

A par desta ajuda, a Comissão Europeia enviou um perito para coordenar as equipas de resgate da União Europeias destacadas no terreno e activou o serviço de emergência do satélite comunitário Copernicus para criar mapas das zonas afectadas.

O Centro de Coordenação e Resposta a Emergências da União Europeia “está a monitorizar atentamente os progressos e está pronto para canalizar mais apoio caso seja necessário”, acrescentou o executivo comunitário na mesma nota informativa. “Os nossos pensamentos estão com todas as vítimas e com as equipas de socorro que trabalham em contra-relógio para salvar vidas”, concluiu o comissário europeu.

A cidade costeira de Palu, localidade com cerca de 350.000 habitantes na costa oeste de Celebes, foi particularmente afectada pela catástrofe.

A maioria das vítimas registou-se nesta cidade, que fica a 78 quilómetros do epicentro do sismo de magnitude 7,5 na escala de Richter que, na sexta-feira, atingiu a ilha.

O tremor de terra foi seguido por um tsunami com ondas que, segundo as agências internacionais, chegaram a atingir os seis metros de altura.

Antes ainda da União Europeia se ter prontificado a ajudar, já a França se tinha mostrado pronta a fazer chegar ajuda à Indonésia: “A França está ao lado da Indonésia neste momento e pronta a enviar ajuda, em articulação com as autoridades indonésias”, indica um comunicado em que o presidente, Emmanuel Macron, transmite “tristeza e solidariedade” ao país e às vítimas.

Também Marcelo Rebelo de Sousa se mostrou solidário com o povo indonésio. O Presidente da República português enviou este domingo uma mensagem ao seu homólogo da Indonésia, Joko Widodo, expressando condolências pelo “número tão elevado” de vítimas do terramoto e tsunami de sexta-feira.

De acordo com uma nota divulgada no sítio da Internet da Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa “manifestou ainda toda a solidariedade para com o povo indonésio neste momento difícil em que prosseguem os esforços de busca e salvamento”.

Já o Papa Francisco convidou os católicos a rezar pelos mortos, feridos e todos aqueles que perderam suas casas, após a tradicional oração do angelus de domingo na Praça de S. Pedro:

“Que o Senhor os console e sustente os esforços dos que se empenham nas ações de socorro”, apelou o Sumo Pontífice.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.