Substâncias perigosas. Três centenas na rua em protesto contra instalações no Cotai

Fotografia: Ou Mun Tin Toi/TDM

Os manifestantes exigiram ao Governo que recue na decisão de construir instalações provisórias de armazenamento e processamento de substância perigosas no Cotai e ameaçam com novos protestos se as suas reivindicações não forem ouvidas. Na manifestação marcaram presença os deputados Sul Sou, Ng Kuok Cheong, Au Kam San e Pereira Coutinho.

Cerca de três centenas de pessoas saíram este domingo à rua com o propósito de protestar contra decisão do Executivo de construir no Cotai infra-estruturas para o armazenamento e processamento de substâncias perigosas. O protesto, que teve início na Praça do Tap Seac e terminou junto à sede do Governo, serviu ainda para que os manifestantes exigissem ao Executivo que avance com um local alternativo para as polémicas instalações.

A responsável pela organização do protesto, Edith Mak, disse à Teledifusão de Macau que a iniciativa mobilizou cerca de meio milhar de participantes, grande parte dos quais moradores do Complexo de Habitação Social de Seac Pai Van. Os números avançados pela Polícia de Segurança Pública são, no entanto, mais conservadores. As forças de segurança do território colocam nas três centenas o número dos que participaram no protesto. Entre os manifestantes estiveram os deputados José Pereira Coutinho, Ng Kuok Cheong, Sulu Sou e Au Kam San.

Aos microfones da TDM, Edith Mak elencou as principais exigências dos manifestantes. A organizadora do protesto quer que o governo recue na decisão de construir na zona do Cotai armazéns provisórios para guardar e processar substâncias perigosas. Mak acusou ainda o Executivo de falta de transparência e exigiram ainda que o Governo dinamiza uma consulta pública inteiramente transparente de forma a que a população possa ser elucidada: “O Governo ainda não libertou qualquer informação sobre a forma como a consulta pública vai ser consultiva e não conseguiu explicar porque razão os locais escolhidos foram estes”, Edith Mak disse aos jornalistas.
A responsável pelo protesto ameaçou com novas manifestalções caso o Governo ignore as exigências dos moradores de Seac Pai Van. Os responsáveis pelo protesto entregaram uma petição a representantes do Executivo depois de concluída a manifestação.

Em Agosto, Chui Sai On reforçou a ideia de que as instalações que estão na base da polémica são provisórias e revelou que o Executivo tenciona construir instalações permanentes para materiais perigosos na zona de aterros E1.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.