Jogo. Receitas da Galaxy Resorts sobem 25 por cento no primeiro semestre

As receitas da operadora de jogo dirigida por Lui Che-woo foram de 28,1 mil milhões de dólares de Hong Kong entre Janeiro e Junho. O montante é 25 por cento superior ao registado em igual período do ano passado, anunciou a operadora em comunicado.

O grupo Galaxy Entertainment (GEG) anunciou receitas líquidas de 28,1 mil milhões de dólares de Hong Kong (3,1 mil milhões de euros) no primeiro semestre, mais 25 por cento relativamente ao período homólogo de 2017.

De acordo com o comunicado divulgado pelo grupo, que opera uma licença de jogo em Macau, à bolsa de valores de Hong Kong, o EBITDA ajustado (lucros antes de impostos, amortizações e depreciações) aumentou 34 por cento relativamente aos meses de Janeiro a Junho de 2017, para 8,6 mil milhões de dólares de Hong Kong.

As receitas globais provenientes do jogo no primeiro semestre totalizaram 34,3 mil milhões de dólares de Hong Kong, mais 30 por cento do que no período homólogo de 2017.

As receitas de jogo do segmento VIP (grandes apostas) totalizaram 19,6 mil milhões de dólares de Hong Kong, uma subida de 41 por cento em relação aos meses de Janeiro a Junho de 2017, enquanto as do mercado de massas subiram 18 por cento para 13,5 milhões de dólares de Hong Kong.

O grupo mostrou-se satisfeito “pelos resultados sólidos (…), apesar dos problemas macroeconómicos causados pelas tensões comerciais globais”.

A 20 de Julho, o parlamento do Japão aprovou uma lei que permite a abertura de três casinos a partir de meados de 2020, com o objectivo de impulsionar o turismo: “Vemos o Japão como uma boa oportunidade de crescimento a longo prazo, que irá complementar as nossas operações em Macau”, declarou o grupo, na mesma nota.

Em resposta a agência Lusa, a operadora de jogo em Macau Galaxy Entertainment Group demonstrou todo o interesse em conseguir uma das três vagas existentes: “Estamos ansiosos para continuar o diálogo com o Governo”, respondeu o grupo, através do seu gabinete no Japão. “Vamos trabalhar em estreita colaboração com o Governo, empresas e fornecedores locais japoneses e com os nossos parceiros internacionais para criar um destino de entretenimento de classe mundial” acrescentou o grupo, que acredita que esta lei vai ajudar “o objectivo do Governo japonês em atrair 60 milhões de visitantes até 2030”.

Em 2017, a operadora registou lucros de 10,5 mil milhões de dólares de Hong Kong, mais 67 por cento do que em 2016.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.