Galgos. Yat Yuen entregou terceiro plano de realojamento

A Companhia de Galgos Yat Yuen fez chegar ao final da tarde ao Governo um terceiro plano relativo ao realojamento dos animais. Desta vez, a empresa endereçou o documento à Direcção de Inspecção e Coordenação de Jogos e não ao Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais. O organismo –  que garante que vai continuar a zelar para que a Lei de Protecção dos Animais seja respeitada – assinou um acordo com o Departamento de Agricultura, Pescas e Conservação de Hong Kong que permite agilizar os procedimentos de quarentena dos animais que sejam alvos de processos de adopção.

As autoridades da vizinha Região Administrativa Especial de Hong Kong vão agilizar os procedimentos de quarentena com o propósito de facilitar o processo de adopção de galgos. As novas medidas entram em vigor antes ainda do encerramento do Canídromo, a 21 de Julho.

O Departamento de Agricultura, Pescas e Conservação da antiga colónia britânica anunciou hoje que vai permitir que os animais provenientes do Canídromo sejam sujeitos a procedimentos especiais de inspecção e quarentena. O objectivo das medidas hoje anunciadas é o de facilitar o processo de adopção dos galgos, de acordo com um comunicado em língua chinesa emitido pelo Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais.

O processo normal de tramitação do processo prevê que os caninos que viajem de Macau para Hong Kong tenham de permanecer em quarentena durante 120 dias, depois de esperarem entre quatro a cinco meses por um espaço numa das instalações do território vizinho autorizadas a receber os animais.

A excepção agora aberta para os galgos do Canídromo pressupõe que os cães estejam vacinados contra a raiva e contra doenças infecciosas. No caso em que os animais cumprem estes requisitos, uma amostra de sangue é enviada para o Departamento de Agricultura, Pescas e Conservação de Hong Kong para que o organismo possa certificar que o envio dos animais não suscita quaisque riscos.

Depois de recolhida a amostra de sangue, os galgos têm de permanecer em Macau por um período nunca inferior a 90 dias. Os responsáveis pelo envio dos animais devem ainda obter um certificado que garante que os cães são saudáveis.

Só depois de cumpridas estas condições é que os galgos são autorizados a entrar em Hong Kong, onde serão sujeitos a um período de pelo menos trinta dias de quarentena.

O acordo assinado pelas autoridades de ambas as regiões administrativas especiais é válido apenas até 31 de Agosto. Até lá, os candidatos à adopção devem fazer chegar  às autoridades de Hong Kong  o registo de vacinas do animal e ainda a referida amostra de sangue. A agilização dos procedimentos de quarentena por parte de Hong Kong é o resultado de negociações iniciadas em Março pelo Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais  e pelo departamento de Agricultura, Pescas e Conservação da RAEHK.

Os dois organismos conduziram uma avaliação de risco antes de darem luz verde ao acordo. Entre os detalhes avaliados estão as condições em que o Canídromo opera os procedimentos de quarentena aplicados no território.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.